Filho de mãe analfabeta conquista 1º lugar na OAB de Pernambuco: “Meu maior alicerce é ela”

Após estudar a vida toda em escola pública e em uma complicada situação financeira, o advogado de 34 anos alcançou seus objetivos através dos estudos graças à família

Resumo da Notícia

  • Advogado de 34 anos alcança 1º lugar em exame da OAB e agradece mãe pelo incentivo aos estudos
  • Após diversas dificuldades dadas durante a infância e adolescência, hoje Walter é grandemente renomado em sua profissão

Advogado pernambucano, Walter Marinho dos Reis tem 34 anos e afirma que foi graças à mãe, Severina de Souza Marinho, que juntou todas as suas forças para dedicar a sua vida aos estudos. No dia 11 deste mês, Walter foi homenageado por ter passado em primeiro lugar no exame 31 da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em sua terra natal, Pernambuco.

-Publicidade-
Walter Marinho dos Reis é advogado em seu estado, Pernambuco (Foto: Reprodução/Folha-PE)

Para conseguir entrar em sua faculdade do coração – a de Direito –, o homem de 34 anos teve que enfrentar diversos obstáculos e precisou trabalhar em vários lugares durante a vida para sustentar sua rotina. Quando tinha aproximadamente 11 anos, o advogado chegou até mesmo a catar recicláveis para ajudar nos gastos de sua casa. Graças à todo o esforço da época, o tempo do pernambucano para focar em seus estudos encurtava cada vez mais. Já com 18 anos, ele foi selecionado para ser soldado do Exército; entretanto, não conseguiu conciliar esta atividade com a escola. Após tal época, também trabalhou como vigilante e antes de iniciar a faculdade de Direito, acabou sendo sargento do Exército por um tempo.

Walter Marinho dos Reis e Severina de Souza Marinho com o diploma do pernambucano (Foto: Reprodução/Folha-PE)

De acordo com Walter, este só conseguiu chegar onde chegou pelo apoio de sua mãe e de sua noiva. A vontade de virar advogado também surgiu através de sua vivência dentro do Exército; este disse que, após ver tantos casos durante o alistamento, nasceu o desejo de entrar na área das leis. O advogado estudou em escola pública durante toda a sua vida e, na hora de fazer faculdade, ingressou em uma particular. Segundo ele, muitas dívidas vieram com a matrícula, mas não foi isso que o fez desistir.

“Minha mãe não sabe ler e nem escrever, mas desde que eu era pequeno, ela sempre falou para a gente que a única coisa que iria mudar a nossa vida eram os estudos” – Walter

Durante o cotidiano cansativo no período da faculdade, Walter estudava na mesa de costura que ficava no terraço da casa da mãe (Foto: Shutterstock)

Severina, mãe de Walter, 68, chegou na cidade de Recife em seus 14 anos para trabalhar como empregada doméstica. A mulher que incentivou a carreira do filho nasceu em Surubim, Agreste de Pernambuco. Já mora na zona oeste da capital do estado há 35 anos e, além do advogado, é mãe de mais 5 filhos – sendo Walter o caçula.

“A gente não tinha muita oportunidade, muitas vezes tentava, mas a vida vinha e batia para tirar do foco, mas temos que persistir naquilo que queremos. Em várias fases da minha vida, tinham coisas para me tirar desse foco, mas eu sempre fui determinado e sempre minha mãe falava que, se eu estudasse, ia ser alguém. Tudo que vier para mim hoje, eu vou retribuir para ela”, explicou Walter.

Quando soube da homenagem, o advogado não acreditou rapidamente que havia passado em primeiro lugar no exame. A cerimônia foi realizada na sede da Ordem dos Advogados de Pernambuco (OAB-PE) e ele foi convidado para ser o orador da turma dos novos advogados. Para o futuro de sua profissão, Walter quer continuar estudando para conquistar a magistratura, além de fazer palestras motivacionais para que mais pessoas consigam alcançar os seus objetivos – apesar de todas as dificuldades que têm de enfrentar.