Filho finge assalto por causa de herança e é preso por matar pai e atirar na mãe

O filho mais velho de um casal foi baleado em um assalto encenado, por causa da herança da família, e ele é um dos principais suspeitos do crime

Resumo da Notícia

  • Um homem encenou um assalto para poder pegar aa herança da família
  • O filho matou o próprio pai e atirou na mãe
  • O caso aconteceu em Ubiratã, a 540 quilômetros de Curitiba

Antonio Beckhauser, 57, foi morto depois de baleado por um homem que havia invadido a casa da família em Ubiratã, a 540 quilômetros de Curitiba, para roubar. Um dos filhos mais velhos do casal também foi baleado, porém, tudo não passou de uma encenação para conseguirem pegar a herança da família.

-Publicidade-

Outras duas pessoas envolvidas no esquema, nos papéis de intermediador e executor, foram presas, também nesta quarta-feira. O caso aconteceu no dia 15 de setembro de 2021. A mulher do radialista, Marilene Macagnan Beckhauser, de 56 anos, sobreviveu aos tiros que levou. O filho do casal  deve responder por homicídio e tentativa de homicídio.

O filho matou o próprio pai, e atirou na mãe por causa da herança da família
O filho matou o próprio pai, e atirou na mãe por causa da herança da família (Foto: Getty Images)

“Desde que o crime ocorreu, em setembro de 2021, começaram a chegar umas informações para nós, tudo de maneira muito informal, que o filho teria muitos problemas na cidade. Teria se envolvido com agiotas, estaria devendo valores consideráveis em razão de um negócio mal sucedido que ele teria feito, e que ele também estava tomando diversas providências para efetuar a venda de um imóvel da família que, na verdade, pertencia à mãe do radialista, muito apegada com ele (suspeito). Ele chegou a morar um tempo com essa avó dele. A avó tinha já se comprometido a destinar parte dos valores dessa venda para ele. Então ele começou a insistir pela venda dessa casa. O pai (o radialista) e os demais irmãos não concordavam. Isso gerou um atrito na família, e chamou atenção da investigação” explicou o delegado Ivo Vourvupulos ao jornal GLOBO.

De acordo com os investigadores, a motivação do crime está ligada ao interesse na herança dos pais, bem como na venda de um imóvel. No dia do crime, o executor entrou na casa da família e atirou nos três. Para fazer parecer um assalto, levou consigo alguns objetos, como carteiras e celulares. Segundo relatos, a família assistia a um jogo de futebol na sala naquele momento.