Foto interna de avião americano resgatando 600 afegãos mostra bebê com mamadeira no colo da mãe

O registro do C-17 Globemaste III carregando seis vezes mais passageiros do que sua capacidade foi feita após o voo sair do Afeganistão, que foi tomado pelo Taleban

Resumo da Notícia

  • Uma foto de afegãos fugindo do país após a tomada pelo Taleban viralizou nas redes sociais
  • O registro mostra o momento em que um avião militar com capacidade para 100 pessoas carrega mais de 600 passageiros, que buscam sair do país a qualquer custo
  • Dentre adultos desesperados carregando malas e crianças, uma bebê mamando mamadeira no colo da mãe chamou atenção

Um avião militar saiu do Afeganistão após a tomada da capital pelo Taleban carregando seis vezes mais o número de pessoas que sua capacidade – previsto para levar 134 pessoas à bordo, o americano C-17 Globemaste III saiu carregando 640 passageiros, entre eles muitas crianças. Numa foto divulgada pela Reuters, e que viralizou nas redes sociais, é possível ver o desespero de afegãos, alguns segurando malas, outros com crianças e até alimentando bebês. Essa última, inclusive, foi o que mais nos chamou a atenção: uma bebê no colo da mãe tomando mamadeira no mar de pessoas que tentam lutar por um recomeço.

-Publicidade-

De acordo com a agência de notícias, as pessoas viajaram amontoadas e agachadas no chão da aeronave. “O número excepcionalmente alto de passageiros foi o resultado de um ambiente de segurança dinâmico que exigiu uma rápida tomada de decisão por parte da tripulação, o que garantiu que esses passageiros fossem rapidamente levados para fora do país”, disse uma fonte anônima, que pertence às autoridades dos EUA, em entrevista à Reuters.

Muitos afegãos subiram no avião depois de invadirem uma rampa semiaberta, antes que o voo pudesse partir para o Catar, segundo o site Defense One. Se você quiser e puder ajudar de alguma maneira, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) está arrecadando doações pelo site oficial deles.

Entenda o caso

O Taleban, grupo extremista islâmico que governou o país no final dos anos 1990, voltou a assumir o controle do Afeganistão após as tropas americanas iniciarem plano de retirada, que começou em 2020. No último domingo, 15 de agosto, o grupo chegou à capital, Cabul, tomando o poder.

Os afegãos estão fugindo do país porque estão preocupados que o país possa reviver os anos 1990, e que o grupo extremista possa se vingar de quem trabalhou com americanos ou com o governo apoiado pelo Ocidente, segundo o Valor. Também existe receio de que a interpretação rígida da lei islâmica seja imposta novamente, como aconteceu entre os anos 1996 e 2001.