Gato salva dona ao ajudar em diagnóstico de câncer de mama: “Mudou a minha vida”

Kate King-Scribbins, de 35 anos, não poderia imaginar que adotar um gato iria salvar a sua vida. O animal ajudou no diagnóstico de câncer de mama estágio 3 da dona após ficar “obcecado” em se deitar sobre o lado esquerdo do peito da mulher

Resumo da Notícia

  • Kate King-Scribbins, de 35 anos, não poderia imaginar que adotar um gato iria salvar a sua vida
  • Oggy, ajudou no diagnóstico de câncer de mama estágio 3 da dona após ficar "obcecada" em se deitar sobre o lado esquerdo do peito da mulher
  • Kate passou por inúmeras sessões de quimioterapia, várias cirurgias e radioterapia

Kate King-Scribbins, de 35 anos, não poderia imaginar que adotar um gato iria salvar a sua vida. Oggy, ajudou no diagnóstico de câncer de mama estágio 3 da dona após ficar “obcecado” em se deitar sobre o lado esquerdo do peito da mulher.

-Publicidade-

Durante uma madrugada ela acordou ao sentir uma dor aguda no seio e depois de fazer o autoexame ela identificou a presença de um caroço, o que a fez receber o temido diagnóstico momentos depois.

Kate passou por inúmeras sessões de quimioterapia, várias cirurgias e radioterapia. Não só, mas tudo isso também com o estômago sendo removido em 2019, após um raro diagnóstico de uma mutação genética rara do gene CDH1, que gera a Síndrome do câncer gástrico hereditário difuso.

O animal deitou na mama com câncer da dona até a cirurgia de remoção (Foto: Reprodução/ Daily Mail)

“Eu olho para trás, para as mudanças no comportamento dele em relação a mim antes do meu diagnóstico de câncer de mama e eu realmente acredito que ele estava tentando me alertar para os perigos que cresciam em meu corpo”, diz ela já curada da doença ao Daily Mail.

Por mais que muitos duvidem da veracidade do depoimento da mulher, ela continua contando a própria história. “Se isso significa que outra pessoa será alertada sobre um problema de saúde antes de mim, vale a pena”, explica. “Percebi que ele continuou a agir assim durante a quimioterapia, e só depois que fiz a cirurgia e o câncer foi finalmente removido é que ele parou de se concentrar no meu peito”, apontou Kate.

Ela passou por várias sessões de quimioterapia e radioterapia, além de cirurgias (Foto: Reprodução/ Daily Mail)

“Tem sido três anos loucos, desde quando eu ouvi as palavras ‘você tem câncer’ minha vida mudou para sempre. Meu marido tem sido ótimo e eu fiz amizade com muitos sobreviventes do câncer. Eles são como uma família”, conclui ela, que, além de Oggy, tem mais um gato e dois cachorros.