Gêmeas siamesas são separadas após 27 horas de cirurgia sem complicações: “Estamos muito felizes”

As irmãs camaronesas Elizabeth e Mary, nascidas unidas há nove meses, foram separadas com sucesso por uma equipe de médicos “extraordinários” após sete meses de planejamento

Resumo da Notícia

  • Elizabeth e Mary são gêmeas siamesas
  • A duas passaram por uma cirurgia na Turquia para separá-las
  • Graças aos médicos turcos e 27 horas de cirurgia as duas estão separadas e bem

Duas adoráveis ​​irmãs de nove meses deixaram Camarões e foram para a Turquia juntas, mas agora podem retornar em lugares diferentes, sete meses depois. A mãe das meninas elogiou a equipe médica “extraordinária” em Istambul, que planejou cuidadosamente a cirurgia em modelos 3D antes de começar a trabalhar nas pequenas Elizabeth e Mary.

-Publicidade-

Segundo os pais, as meninas que saíram do útero unidas viviam com dores que as levaram a procurar ajuda médica. Após sete meses de planejamento e uma operação final de 27 horas para separar os gêmeos siameses, as duas meninas receberam alta do hospital em Istambul. O pai dos gêmeos, Richard Akwe, disse: “Ficamos muito tristes com o pensamento de nossos bebês não serem capazes de se mover livremente e que estavam sofrendo.

Gêmeas siamesas passam por cirurgia de 27 horas para poderem se separar
Gêmeas siamesas passam por cirurgia de 27 horas para poderem se separar (Foto: Reprodução/Daily Star)

“Também ficamos tristes com o choro de nossas filhas quando estavam com fome enquanto minha esposa tentava amamentá-las uma a uma, mas foram um presente para nós e nos dedicamos a cuidar delas da melhor maneira possível”. A mãe das meninas, Anne Caroline Akwe, disse em uma entrevista coletiva: “Fiquei muito, muito feliz por ver Elizabeth e Mary separadas e bem sem nenhuma complicação. Apesar das muitas dificuldades, amamentei meus bebês por um ano enquanto eles estavam unidos.

“Nunca perdemos a esperança de que eles se separassem e vivessem com boa saúde. E esse sonho se tornou realidade com o extraordinário esforço e sucesso dos médicos turcos. ” Após a operação de 27 horas, o neurocirurgião Dr. Memet Ozek disse: “A separação da parte inferior da medula espinhal foi um problema no processo de separação de oito horas e meia. Por que foi um problema? “Porque envolvia quatro funções importantes: o movimento dos pés, o controle do trato urinário, a capacidade de controlar a defecação e a prevenção de um problema na vida sexual futura. Cada um tinha seu próprio conjunto de problemas. Após a cirurgia, o objetivo é mantê-los protegidos.”