Gloria Perez ganha ação na Justiça para receber indenização pelo assassinato da filha, Daniella Perez

A ação foi protocolada em 2005 e finalizada em 2021

Resumo da Notícia

  • Gloria Perez vai receber indenização de autores do crime que mataram a filha Daniella Perez;
  • A atriz e bailarina morreu aos 22 anos;
  • A Justiça autorizou o pagamento de 480 mil reais.

Nesta quarta-feira, 26 de janeiro, a Justiça do Rio de Janeiro determinou que Gloria Perez deve receber uma indenização de R$ 480 mil de Paula Thomaz e  Guilherme de Pádua, os responsáveis pelo assassinato de Daniella Perez, filha da dramaturga. O caso ocorreu em 1992

-Publicidade-

O portal Notícias da TV disse que a ação foi protocolada em 2005 e decidida em 2017, após a escritora pedir pelo cumprimento de sentença por danos morais de uma vitória judicial que obteve contra os criminosos em 2002. A vitória da veterana resulta na condenação do casal ao pagamento de 500 salários mínimos, que é equivalentes a R$ 480 mil.

Daniella Perez foi assassinada em 1992
Daniella Perez foi assassinada em 1992 (Foto: reprodução Instagram)

Gloria pedia o cumprimento de sentença por danos morais de uma vitória judicial que havia obtido contra os assassinos em 2002. No entanto, Paula entrou com um recurso alegando que não possuía patrimônio para saldar a dívida. Diante do caso, a Justiça acatou inicialmente o pedido de Paula e reconheceu a falta de dinheiro.

Mas a autora de novelas não deixou de lutar. Gloria Perez entrou com um novo processo e conseguiu, na 1ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro em 2021 um mandato que fosse penhorado um apartamento no nome do atual companheiro de Paula Thomaz, Sérgio Rodrigues Peixoto.

Relembre o caso

Guilherme, com a ajuda da ex-mulher Paulo Nogueira Peixoto, tirou a vida de Daniella Perez no dia 28 de dezembro de 1992. A atriz e bailarina, que tinha 22 anos na época, foi atingida com um punhal e uma tesoura e não resistiu. A motivação do crime seria profissional, pois Guilherme havia “perdido espaço” na novela, e o ciúme de Paula em relação a atriz.

Depois das investigações, ele foi condenado a 19 anos de prisão, mas acabou solto em 1999, após cumprir um terço da pena. Atualmente é pastor evangélico.