Golpe que limpa conta bancária acende alerta! Veja como proteger a família e evitar dores de cabeça

Com o aumento do roubo de celulares, o golpe limpa-contas tem sido bastante frequente e deixado muitas famílias na mão. Por isso, conversamos com especialistas, que listaram alguns cuidados para colocar em prática

Resumo da Notícia

  • O estado de São Paulo registrou mais de 300 mil roubos ou furtos de celulares em 2020
  • O golpe limpa-contas tem sido bastante frequente nos aparelhos roubados
  • Nele, os ladrões usam os dados das vítimas para limpar as contas bancárias
  • Especialistas explicam como proteger a família e ficar (bem!) longe dos golpes

Apenas em 2020, o estado de São Paulo registrou mais de 300 mil roubos ou furtos de celulares, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP). Isso significa que, por dia, foram feitas cerca de 825 ocorrências. Com o número crescente de casos, é preciso ficar de olho no golpe conhecido como “limpa-contas”, no qual são acessados os dados da vítima e aplicativos de contas bancárias. Mesmo com senhas, muitas vezes os sistemas de segurança conseguem ser burlados.

-Publicidade-

Em maio de 2021, foi mostrado que das ocorrências que envolvem documentos, telefones celulares e valores, 63,2% são roubos de smartphones. Isso acende um alerta para os cuidados com dados pessoais e a importância de guardá-los do jeito certo. “Costumo dizer que um ditado exemplifica bem essa importância: ‘Os dados pessoais são os seus mais valiosos ativos’. Há casos em que empresas extraem seus dados sem que você note e criminosos que buscam acesso a eles através de roubos de aparelhos celulares, notebooks e tablets”, explica Francisco Gomes Junior, especialista em direito digital.

A gente sabe que todo cuidado é pouco, por isso, é superimportante que a família coloque algumas medidas em prática para evitar ainda mais dor de cabeça. Para te ajudar nessa missão, conversamos com a Dra. Ivanice Cardoso, mãe de Helena e Beatriz, advogada especialista em Direito de Imagem e colunista da Pais&Filhos.

Em todos os aplicativos, é superimportante ter dupla autenticação para a proteção dos dados (Foto: Getty Images)

Como a família pode se proteger do golpe “limpa-contas”?

De acordo com a advogada, é fundamental que as famílias fiquem de olho nas várias habilitações que são deixadas nos celulares no automático. “Uma vez que o celular esteja desbloqueado, muitas vezes porque se está no trânsito usando o Waze, todos os outros aplicativos estarão à mão de um assaltante”, alerta.

Então, a dica é sempre realizar o exercício: e se essa tecnologia for usada por uma pessoa mal intencionada? “Sempre utilize as duplas camadas de autenticação. Por exemplo: se para acessar um aplicativo de banco você tem o reconhecimento facial e a senha numérica, use os dois. Da mesma forma qualquer outro aplicativo”.

Como proteger os aplicativos de banco no celular

O primeiro passo é não deixar aplicativos de banco abertos no celular, ou seja, sempre clicar em “sair do aplicativo” quando terminar de usar. “Use quantas senhas ou autorizações de acesso forem necessárias para acessar a sua conta”, reforça Ivanice.

Caso use mais de um banco, deixe apenas o acesso de um deles em seu celular. Nas outras contas, a advogada orienta um equipamento com antivírus atualizado e mais senhas de acesso. “Esse golpe tem colocado em questionamento o nível de proteção que realmente é oferecido pelos bancos aos seus clientes. Precisamos ter mais atenção nesse sentido. E isso cabe para destravamento de aluguel de carro, acesso a portarias ou retirada de crianças em escolas”.

Cuidado com as fotos das crianças no celular!

Para as famílias que amam ter fotos dos filhos no celular, é superimportante criar um bloqueio de acesso, deixando o processo um pouco mais seguro. “mantenha o mínimo de informação acessível no seu celular que identifique familiares, principalmente crianças e idosos, que seriam facilmente convencidos numa situação de golpe utilizando imagens. As fotos realmente importantes podem estar numa nuvem feita especificamente para essa finalidade ou guardadas num pen drive”, alerta Ivanice.

Procure guardar as fotos sempre na nuvem e bloqueie a galeria para prevenir fraudes (Foto: Reprodução)

Fui roubado. Como evitar golpes com celulares?

O primeiro passo é bloquear o celular e apagar todos os dados. Em seguida, comunique imediatamente o banco pela central de relacionamento. Avise também quem está cuidando dos seus filhos, pois os contatos de whatsapp podem ser facilitadores para criminosos. Por fim, faça um Boletim de Ocorrência e envie por e-mail para o banco e administradora de cartão de crédito.

Como apagar dados no Android roubado

  • Acesse o site android.com/find
  • Faça login com seus dados
  • Selecione a opção Limpar Dispositivo

Como apagar dados no iPhone roubado

  • Acesse o site icloud.com
  • Entre com seu login e senha
  • Selecione a opção Buscar iPhone
  • Clique em Apagar Dispositivo

Dicas extras para ficar livre do golpes em celulares

Francisco Gomes Junior listou algumas dicas extras (e superimportantes!) para deixar os celulares da família ainda mais protegidos. Confira abaixo alguns hábitos para colocar em prática e ficar livre desse perrengue:

  • Comece não guardando senhas no celular ou em qualquer outro tipo de aparelho eletrônico. Deixe em um lugar seguro, se possível off-line
  • Diminua também o tempo de bloqueio automático da tela.
  • Utilize senha para o chip. Quando se compra um chip de operadora, ele já vem com um código. Busque alterá-lo na opção “PIN do SIM” do aparelho. Com isso, o chip só poderá ser utilizado novamente mediante a senha
  • Em grande parte dos celulares, é possível usar uma senha alfanumérica mais longa, além dos 6 dígitos padronizados. Acesse as configurações do celular e coloque uma nova senha com mais dígitos e/ou letras. Informe-se também em seu aparelho como desabilitar rapidamente o Face ID
  • Anote o número do IMEI do seu celular em um lugar seguro. Esse número é considerado o “chassi” e deve ser informado no caso de roubo para bloqueio rápido do aparelho