Gravidez de gêmeos: quais são os cuidados, mitos e verdades, riscos e mudanças

Esperar dois bebês é motivo de alegria em dobro e também de mais atenção. Tire suas principais dúvidas sobre a gestação gemelar

Resumo da Notícia

  • Se uma gestação única já exige muitos cuidados, uma gestação de gêmeos exige cuidados em dose dupla!
  • As mudanças no corpo são muitas e as grávidas de gêmeos precisam aumentar a frequência das consulta médicas
  • Saiba diferenciar os mitos e as verdades sobre a gravidez gemelar

Descobrir que se está grávida já é uma grande surpresa, agora descobrir que se está grávida de gêmeos é uma surpresa em dose dupla! Não é comum entre as mulheres esperar ter mais de um bebê logo no início da gestação – ainda mais quan­do se fala em tri ou quadrigêmeos! Mas esse tipo de gestação está relacionada com hereditariedade, e a probabilidade disso acontecer é de 1 caso em 80. 

-Publicidade-
Com gêmeos em casa, tudo será em dose dupla!
Com gêmeos em casa, tudo será em dose dupla! (Foto: iStock)

Mudanças no corpo da grávida de gêmeos

O fato de existir mais de um bebê em formação na barriga, implica em maiores mudanças no corpo da mãe e também exige maiores cuidados. Quem espera gêmeos têm uma propensão maior a desenvol­ver estrias, especialmente no abdômen, já que a região vai ex­pandir mais do que o normal para acomodar os bebês. Como a produção de hormônios no corpo é bem maior, o útero cresce em maior velocidade e a mudança de peso, postura e nas articulações vão seguir esse mesmo padrão.

Carregar mais de um bebê na barriga provoca maiores mudanças no corpo
Carregar mais de um bebê na barriga provoca maiores mudanças no corpo (Foto: Freepik)

Talvez uma das maiores dificuldades das mulheres na hora de gerar dois bebês é o aumento do peso. Segundo a ginecolo­gista e obstetra Heloisa Brudniewski, filha de Olga e José, as mães de gêmeos ganham mais peso justamente porque têm mais um bebê na barriga e também porque precisam comer por três (ou mais). “Prematuridade, dores no corpo, principal­mente na região lombar, são mais intensas do que o habi­tual. Algumas doenças, como diabetes, hiperemese gravídica e pré-eclâmpsia, também são mais frequentes”, comenta a especialista.

O cansaço também aumenta, especialmente porque existe uma sobrecarga maior nas regiões lombar e abdominal, podendo desencadear problemas na postura. Também é possível ocorrerem casos de falta de ar, por causa da com­pressão do tórax pela barriga, e problemas para dormir, já que não é fácil encontrar uma posição confortável.

Com mais um bebê dentro do corpo, os órgãos da mãe terão menos espaço. “O coração, estômago e intestino precisam se realocar dentro do corpo para abrigar o crescimento uterino, e isso pode ser mais incômodo na gestação gemelar”, explica a enfermeira obstetra Cinthia Calsinski, mãe de Matheus, Bianca e Carolina.

É claro que isso são possibilidades de uma gravidez de gêmeos, e não um motivo para gerar pânico. É fato que ter mais de um bebê na barriga vai, por consequência, gerar mudanças maiores no corpo, mas saber como medir a sua ener­gia e cuidar de si é essencial para que todo o período da gravidez seja tranquilo e saudável. 

Cuidados essenciais 

Uma gestação gemelar exige um acompanhamento médico mais rígido do que a gestação única. “O acompanhamento deve ser mais rigoroso, do início ao fim. Incluindo nutricionista, para cuidar do aumento de peso e das necessidades que os fetos terão; fisioterapeuta, para trombose e dor nas costas; além do controle rigoroso de peso, do colo do útero e checar pré-eclâmpsia – que é a pressão alta durante a gravidez” explica o Dr. Alfonso Araújo Massaguer, pai do Nicolas, ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana da Clínica MAE em São Paulo.

A gravidez gemelar exige maiores cuidados
A gravidez gemelar exige maiores cuidados (Foto: iStock)

O pré-natal é importantíssimo e, para mães de gêmeos, as consultas devem ter uma frequência maior, já que a chance de nascimento prematuro é maior do que em gestações únicas. O espaço entre uma e outra consulta deve ser menor e os exames devem ser feitos em maior número também. Tudo para garantir que mãe e filhos estejam bem e com saúde.

Mitos e verdades sobre gravidez gemelar

  • Quem possui gêmeos na família tem mais chances de engravidar de gêmeos? Verdade! O histórico de gêmeos na família da mulher pode influenciar na gravidez, aumentando a probabilidade de uma nova gestação também ser de gêmeos.
  • Existem alimentos que estimulam a gravidez gemelar? Mito! A liberação de óvulos não tem a ver com alimentação.
  • A idade da mulher pode contribuir com a gestação de gêmeos?  Verdade! Tanto de forma espontânea, quanto na reprodução assistida. Nessa última, são fertilizados dois ou mais embriões para aumentar as chances de mulheres em idade mais avançada engravidarem. Logo, as chances de desenvolvimento de uma gestação gemelar são maiores. Já na espontânea, as chances são maiores pois a partir de 36 anos os ovários tendem a ovular de forma dupla ou tripla. Desta forma, aumenta-se a possibilidade de uma gravidez gemelar.
  • Os sintomas da gravidez de gêmeos são maiores? Verdade! Se quem espera um único bebê sente enjoos leves nas primeiras semanas, a mãe de gêmeos pode ter enjoos muito fortes seguidos de vômitos. A gestante produz hormônio de forma duplicada e, além disso, existe um desconforto extra por causa do crescimento dos bebês.
  • O parto de gêmeos vai ser sempre prematuro? Mito! Segundo o Dr. Alfonso, nem sempre o parto é prematuro, mas o risco de complicações na gestação de dois bebês aumenta 4 ou 5 vezes. Há um índice relativamente alto de partos antes da 37ª semana, por conta de uma série de fatores como hipertensão, diabetes e da própria falta de espaço no útero. Mas com alguns cuidados, e não havendo complicações, os bebês podem sim nascer dentro do tempo convencional.
  • O parto de gêmeos só pode ser cesárea?  Mito! Se a gravidez de gêmeos não tiver qualquer tipo de complicação, a mulher pode ter parto normal sem nenhum problema. É tudo uma questão de saber com detalhes a posição de cada criança, sendo fundamental que elas estejam com as cabeças para baixo na hora do parto. A maior preocu­pação dos médicos durante um parto comum é a saída do segundo bebê, já que a sua posição pode mudar depois do nascimento do primeiro. “Embora seja comum os partos ge­melares se iniciarem precocemente em relação aos casos de partos de bebê único, isso não pode ser um indicativo para se agendarem esses partos. Mesmo em casos em que a posi­ção do bebê não favoreça o parto normal, é muito importante que o trabalho de parto se inicie espontaneamente para a saúde e bem-estar de todos os envolvidos”, reforça Cinthia.