Hair Love: Diretor leva menino que sofreu racismo ao Oscar

Deandre Arnold, do Texas, sofreu preconceito por causa do cabelo e a escola informou que ele não poderia ir para a formatura por causa dos dreadlocks

Resumo da Notícia

  • Diretor do curta "Hair Love" leva menino que sofreu preconceito por causa do cabelo
  • O menino não poderia ir na própria formatura por não estar "adequado aos padrões de vestuário"
  • O curta ganhou o Oscar de melhor curta de animação
(Foto: reprodução/ Instagram @matthewacherry)

Hair Love” conta a história de um pai negro que precisa aprender a pentear o cabelo da filha. O diretor Matthew A. Cherry levou um convidado muito especial para o Oscar. Deandre Arnold, um estudante que foi informado de que não poderia ir a formatura a menos que cortasse os dreadlocks.

Deandre apareceu no The Ellen DeGeneres Show, e a publicidade levou o Caucus Legislativo do Texas a elaborar um projeto de lei que proibiria a discriminação com base em certos penteados geralmente associados à raça, segundo o site Little Things.

(Foto: reprodução/ Instagram @matthewacherry)

O curta ganhou um Oscar no último domingo, dia 9 de fevereiro, por melhor curta de animação. Quando o diretor Matthew, todos os olhos do tapete vermelho se voltaram aos dois.

“Para nós, o mundo significa tê-lo aqui conosco”, disse Matthew. “Queríamos que as pessoas percebessem o quão bom ele é, mas também não há razão para as pessoas policiarem nossos cabelos”. ​​

Deandre contou que falaram para ele que não teria permissão para participar da cerimônia de formatura porque seu cabelo viola o código de vestuário da escola. E é claro que Matthew não ia ficar sentado vendo outro jovem negro sofrendo preconceito por causa do cabelo.

O diretor até postou um vídeo exaltando o penteado do menino. Veja, clicando aqui.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!