Herpes: o que é, sintomas, como identificar cada tipo, tratamento e por que pode ser grave em bebês

Você sabia que existem vários tipos diferentes de herpes? Apesar de ser bastante comum, pode ser diferente em adultos e crianças. Conversamos com a dermatologista, Dra. Mayla Carbone e esclarecemos as principais dúvidas

Resumo da Notícia

  • O herpes mais comum é aquele causado pelo tipo 1
  • Em adultos e crianças, pode ser complicações diferentes
  • Apesar de não tem cura, o herpes pode ser tratado e controlado

A herpes, também conhecida por “beijo de aranha” ou “herpes simples” é causada por um vírus muito comum e que pode ser bastante prejudicial para o embrião ou recém-nascido. Apesar de poder aparecer em qualquer parte do corpo, costuma se manifestar nas genitais, rosto ou lábios.

-Publicidade-

Para tirar as principais dúvidas sobre o tema, e como a doença funciona tanto em adultos como nas crianças, conversamos com a dermatologista do Hospital San Gennaro, Dra. Mayla Carbone. A médica esclareceu ainda o que pode desencadear o problema e a importância do tratamento.

O que é herpes?

É estimado que 90% das pessoas no mundo tenham o vírus da herpes, mas apenas 10 a 15% delas manifestam o sintomas. Causada geralmente pelo vírus herpes simplex 1 (HSV), ele sai do gânglio e percorre até chegar a epiderme, onde se dá o aparecimento de uma ferida, que é chamada de vesícula.

Como a herpes é transmitida?

  • Gotículas de saliva
  • Contato com as mãos no local das lesões
  • No momento do parto vaginal
  • Durante a gravidez
  • Sexualmente
Existem três tipos mais comuns de herpes, que merecem atenção durante o tratamento (Foto: Shutterstock)

A mãe pode transmitir herpes no parto e na gravidez

Se a mãe tiver herpes, ela pode ser transmitida para o bebê no momento do parto. Mas, se a situação acontecer ao longo da gravidez, é muito importante avisar o obstetra e realizar o tratamento. Dessa maneira, a transmissão pode ser evitada ao embrião.

Tipos de herpes

De acordo com a dermatologista, existem alguns tipos diferentes de herpes, como a herpes simples (tipo 1), herpes genital (tipo 2) e a herpes zoster, que apesar de ser um pouco menos comum que as outras duas, merece atenção. Confira abaixo as características de cada uma delas:

  • Herpes simples: apresenta lesões na mucosa oral, ou em qualquer outra região do corpo. As feridas ocorrem a partir do aparecimento de vesículas, que tem a aparência avermelhada
  • Herpes genital: pode aparecer na região da genitália, vagina, pênis e até mesmo ânus. Geralmente, é transmitida sexualmente
  • Herpes zoster: também conhecida como “cobreiro”, qualquer pessoa que teve varicela (catapora) pode desenvolver este tipo de herpes. “Há o aparecimento das vesículas, que podem evoluir para crostas. A característica principal é a dor nevrálgica, pois acomete os gânglios paravertebrais, causando muita dor”.

Sintomas de herpes em crianças

Nas crianças, a Dra. Mayla Carbone explica que os casos de herpes podem passar desapercebidos. “Elas podem ser assintomáticas, ou quando tiverem o primeiro contato apresentar a estomatite herpética, que são feridas na boca, lábios e aftas dentro da boca”.

Sintomas de herpes em adultos

Já nos adultos, as lesões causadas pela herpes costumam ser mais aparentes. “As vesículas podem aparecer nos lábios, nariz ou qualquer outra região do corpo. Possuem bases avermelhadas e sensação de ardência e leve dor”, explica a dermatologista.

Para o recém-nascido e o embrião, ela pode ser mais grave e deixar sequelas (Foto: Shutterstock)

Já no caso da herpes zoster, mais comum na fase adulta e idosa, as vesículas avermelhadas podem evoluir pra crostas. Uma das principais características é a dor nevrálgica. Mesmo após o tratamento, segundo a médica, os pacientes devem ser acompanhados, pois o incômodo pode persistir. As manchas podem aparecer na costela, rosto e em outras regiões do corpo.

O que pode desencadear a herpes?

  • Queda do sistema imunológico
  • Exposição solar
  • Queimadura solar
  • Relações sexuais com pacientes que estão com herpes
  • Estresse
  • Exposição ao frio intenso
  • Febres
  • Falta de sono
  • Uso frequente de corticosteroide
  • Cirurgias
  • Período menstrual

Riscos do recém-nascido ou embrião terem herpes

Apesar do herpes não causar riscos para os adultos, ela pode ser muito séria para o recém-nascido ou embrião. “Nos bebês, o herpes pode ter uma forma mais grave, justamente por causa do sistema imunológico comprometido. Então, podemos ter desde abortos na contaminação do parto, ocorrências de malformações fetais, algumas lesões de pele, olhos, boca, cegueira e infecções do sistema nervoso. Além disso, esses pacientes podem ter o comprometimento hepático também, evoluindo para uma hepatite”.

Como o diagnóstico de herpes é feito?

Geralmente, o diagnóstico é realizado de forma clínica através das lesões, que são vesículas com bases avermelhadas. Além disso, é possível realizar testes de sorologia a partir de exames de sangue, por exemplo. Mas, caso seu filho apresente algum tipo de sintoma, é muito importante a investigação realizada por um especialista.

Herpes tem cura?

Infelizmente não, mas é possível tratá-la. “A partir do diagnostico, conseguimos iniciar a medicação para os pacientes, que pode ser oral ou intravenoso”, comenta a médica. Vale lembrar ainda que mesmo com o tratamento, o herpes pode reincidir quando existir um comprometimento do sistema imunológico.