“Hidroxicloroquina não diminui número de mortes por coronavírus”, defende pesquisa

O estudo publicado pelo The New England Journal of Medicine mostra que a medicação não aponta redução nas vítimas que a doença faz. Apesar de ser a maior, as descobertas ainda não são conclusivas

Resumo da Notícia

  • Novo estudo aponta que uso de hidroxicloroquina não aponta diminuição de mortes por covid-19
  • A pesquisa é uma das maiores realizadas até o momento e foi feita nos Estados Unidos
  • Os pesquisadores dividiram os pacientes em 4 grupos para realizá-la
  • Apesar de ser a maior feita até o momento, ela ainda não é conclusiva
  • Veja apontamentos e resultados
Pesquisa aponta que uso do medicamento hidroxicloroquina não reduz as mortes dos pacientes  (Foto: Getty Images)

Uma pesquisa recente realizada nos Estados Unidos mostra que o uso do medicamento hidroxicloroquina não aponta redução de mortes de pacientes com covid-19. A pesquisa envolveu 1.438 pessoas e avaliou o impacto do remédio tanto com como sem o antibiótico azitromicina.

-Publicidade-

De acordo com a Exame, as conclusões do estudo foram publicadas no periódico científico Jama e as descobertas são semelhantes as de uma outra pesquisa, publicada no  The New England Journal of Medicine na semana passada.

Na pesquisa mais recente, os cientistas dividiram os pacientes em quatro grupos. O maior grupo, que contava com 735 pessoas, recebeu hidroxicloroquina junto com azitromicina. Essas pessoas receberam os medicamentos antes ou ao mesmo tempo que passaram a usar respiradores mecânicos. Um outro grupo, com 271 pessoas, recebeu apenas a hidroxicloroquina e um terceiro grupo, com 211 pessoas, recebeu apenas a azitromicina. Um quarto grupo, ainda, contou com 221 pessoas que não receberam nenhuma medicação.

-Publicidade-

Notou-se que os pacientes que receberam a hidroxicloroquina sozinha ou junto com a azitromicina apresentaram arritmia cardíaca. 25,5% dos pacientes do primeiro grupo, que receberam hidroxicloroquina e azitromicina, morreram. Dos que receberam apenas e hidroxicloroquina, 19,9% faleceram. E do grupo que recebeu apenas a azitromicina, 10% faleceu. No último grupo, que não recebeu nenhuma medicação, 12,7% morreram.

Apesar desse estudo ser considerado um dos maiores realizados até o momento, ele ainda não é conclusivo, uma vez que possui algumas limitações. Nas próximas semanas outros estudos relacionados à eficácia do uso da azitromicina e da hidroxicloroquina serão divulgados.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-