Família

Histórias em quadrinhos: entenda a importância para o desenvolvimento do seu filho

Personagens desses contos podem ajudar no prazer pela leitura e convivência com outras crianças

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Taís e Roberta Bento, nossas colunistas e embaixadoras, ao lado de Maurício de Sousa (Foto: Acervo pessoal Pais&Filhos)

Tina, Louco, Franjinha, Zé Lelé, Hiro, Nho Lau e muitos outros amigos, além da Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali, fizeram parte da infância da Taís. Aqui fica uma dica para ajudar nossos filhos a sentirem um pouquinho do prazer em conviver com mais crianças: personagens de histórias em quadrinhos podem ser ótima companhia e também exemplo em diversas situações que um filho único não vivenciaria sem esse apoio.

Taís cresceu sentindo-se parte de uma grande comunidade. Crianças com gostos e características diferentes eram apresentadas nas histórias sobre as quais conversávamos muito depois. Um dos prediletos era o Piteco. Por algum motivo ainda misterioso, foi com ele que minha loirinha de cabelos cacheados, aprendeu, aos 2 anos de idade a separar sílabas. Uma das brincadeiras favoritas era dizer para as pessoas: “fala Pi, agora fala Té, agora fala Co. Quem você falou? Piteco!”.

Eis que um tio muito querido veio nos visitar no Brasil e fez questão de levar essa menina doce para uma reunião que ele teria no sítio de um amigo, no município de Caçapava. Lá fomos nós, coração batendo forte – nosso, dos adultos. Para a Taís era só um passeio. Ela estava mais feliz pela presença do primo-irmão João Paulo do que por qualquer outro motivo.

Taís, quando era criança, ao lado de Maurício de Sousa (Foto: Acervo pessoal Pais&Filhos)

A doce inocência de uma criança, sempre nos dando lições valiosas: pessoas com quem convivemos são de fato mais importantes do que pessoas famosas. A menos que a pessoa em questão não seja um simples famoso, mas o pai de muitos famosos, como Taís descobriu depois.

O ano era 1991. Fomos recebidos com todo carinho pelo querido amigo do meu tio e por sua família. Não demorou nada para que ele também ficasse encantado com o conhecimento profundo que aquela garotinha de 2 anos tinha sobre cada um dos seus personagens.

Naquele momento nos deu um conselho: “Escolham com carinho a escola em que vão colocá-la. É importante que ela mantenha esse gosto pela leitura, a criatividade e a paixão por novas descobertas.” Eis que aquela garotinha hoje escreve, junto com sua mãe, esta coluna. Eis que o ídolo que inspirou tantos momentos de nossa vida está, com seus filhos, na capa desta edição. Eis que o mundo gira e traz momentos únicos, capazes de gerar uma sensação enorme de gratidão.

Aqui estamos, mãe e filha, eternamente gratas pelos companheiros de infância que fazem parte das profissionais que somos hoje. Obrigada, Maurício de Sousa!

Leia também:

Conheça a família de Mauricio de Sousa além dos quadrinhos: “Ter um filho é dobrar de tamanho”

Mauricio de Sousa posta foto e lembra de filha recém-nascida: “Inspiração”

Mauricio de Sousa ilustra livro de Monteiro Lobato e leva a Turma da Mônica ao Sítio do Picapau Amarelo