Homem acusado de comprar bebê por R$4 mil nega que tenha oferecido dinheiro pela criança

De acordo com o empresário, ele realizou uma adoção acordada com a mãe biológica do bebê, chamada de “adoção à brasileira”, considerada crime. Ele disse que registrou a criança em seu nome após receber uma ameaça da mulher

Resumo da Notícia

  • No início de abril, um empresário foi preso acusado de comprar um bebê por R$4 mil
  • Ele ficou seis dias na prisão e agora teme não recuperar a criança
  • A maneira como o homem adotou a criança é chamada de "adoção à brasileira" e é considerada crime
 

Um empresário de 33 anos, acusado de comprar um bebê por R$4 mil, chegou a ser preso após a denúncia da mãe biológica do bebê. Ele nega que tenha feito isso e teme não recuperar o menino. Ele relatou ao G1 que os dias que se seguiram após a prisão foram os “piores da vida”. O caso aconteceu em Praia Grande, litoral de São Paulo, mas o homem mora na capital.

-Publicidade-

Durante a entrevista, ele preferiu não revelar sua identidade por segurança e contou que sempre desejou ser pai. Olhando grupos de adoção nas redes sociais, ele encontrou a mãe biológica do bebê, que prometeu a ele que abandonaria o filho no hospital. Alguns dias depois, ela entrou em contato com o empresário para contar que havia mudado de ideia e que doaria o bebê à ele.

Ainda segundo o relato dele, o empresário começou a ajudar a mulher com os gastos da gestação e comprou o enxoval do bebê. O homem disse que entrou em contato com um advogado para cuidar das questões legais da adoção, mas recebeu da mãe biológica uma ameaça de que abandonaria a criança em um abrigo caso ele não registrasse o bebê direto.

Pai é acusado de vender o filho recém-nascido por R$ 4 mil no litoral paulista (Foto: Getty Images)

“Em momento algum imaginei que ir ao cartório registrar era ilegal. Agi com medo”. Depois disso, ele levou a criança para casa no dia 3 de março e pouco tempo depois ficou sabendo que a mulher acusou o pai biológico do bebê de agredi-la e vender a criança por R$4 mil. Essa maneira de adotar, chamada de adoção à brasileira, é crime. O empresário foi preso no dia 1º de abril.

“Fiquei seis dias na cadeia. Foram os piores dias da minha vida. Sou totalmente correto. Fui jogado e menosprezado na cadeia. Senti medo de apanhar, de ser abusado”, desabafou. Liberado no dia 7 de abril, o empresário explicou que não houve uma compra, mas uma adoção consentida. Apesar disso, sente medo de não voltar a ver o bebê.

“A gente vai tentar recuperar, queremos nosso filho de volta pelos meios legais. O quarto dele continua aqui. Não sei se conseguiremos recuperar, tenho muito medo de negarem por causa da repercussão. Por conta de mentiras posso perdê-lo para sempre”.

Relembre o caso

Um bebê recém-nascido, de apenas 30 dias, foi vendido pelo próprio pai pela quantia de R$ 4 mil, segundo acusa a mãe do menino. O caso aconteceu em Praia Grande, no litoral paulista e o menino foi encontrado na última quinta-feira, 1° de abril, na Zona Leste de São Paulo. A Polícia Civil suspeita de uma rede de tráfico de crianças por meio da internet. O suspeito já teve a prisão decretada, mas está foragido.