Homem com deficiência rege grande orquestra sinfônica aos 81 anos: “foi mágico!”

O músico, Paul Harvey, regeu uma grande orquestra sinfônica aos 81, mesmo possuindo uma deficiência intelectual

Resumo da Notícia

  • Homem de 81 anos, com deficiência regeu uma grande orquestra aos 81
  • Ele surpreendeu milhares de pessoas por conseguir vencer uma dificuldade através da música
  • Pau Harvey tem viralizado mundialmente por seu talento

Paul Harvey, de 81 anos, ficou conhecido em setembro do ano passado, após aparecer em publicação do filho improvisando uma apresentação em dois minutos com apenas quatro notas no piano, mesmo com a perda de memória. O músico possui demência e consegue fazer coisas extraordinárias através da música, surpreendendo milhares de pessoas.

-Publicidade-

O músico foi convidado para reger a Orquestra Filarmônica da BBC, tocando duas composições no estúdio em Salford, após marcar um ano de seu vídeo de sucesso. Ele passou uma tarde emocionante com a orquestra, regendo Quatro Notas, enquanto o filho, Nick, tocava piano. Paul, o ex-professor de música e pianista clássico, disse: “Foi mágico, foi muito, muito especial trabalhar com músicos tão maravilhosos”.

Homem com deficiência intelectual rege grande orquestra
Homem com deficiência intelectual rege grande orquestra (Foto: Reprodução / Good News Network)

“Isso me fez sentir vivo, eu não conseguia acreditar que uma orquestra estava tocando minha música e eu estava em frente a ela regendo”, disse. “Eu não regia há muito tempo antes disso. Foi uma verdadeira emoção”, continuou.

Nick, que se juntou ao pai, afirmou que o viu “reviver” desde que o vídeo dele tocando piano viralizou. “Isso comoveu meu pai, eu e meus dois irmãos. Foi um sonho que se tornou realidade para ele pai reger e tocar com uma orquestra desse porte aos 81 anos. É disso que os sonhos são feitos!”, disse. “Foi como uma experiência surreal! Meu pai ainda está se recuperando, ele estava tendo lembranças do que tinha acontecido nos últimos dias”, contou. “Sua memória de curto prazo é geralmente despedaçada, mas quando grandes eventos como este acontecem, é como um ferro em brasa em seu cérebro”, disse impressionado com o a capacidade do pai em superar os desafios dessa maneira.

Paul nasceu em Stoke-on-Trent e estudou piano na Guildhall School of Music. Ele se tornou um compositor e pianista de concerto, aparecendo no serviço doméstico da BBC em 1964. Decidiu se tornar professor de música pouco antes do primeiro filho nascer. Ele passou 20 anos ensinando música em uma escola. No entanto, cinco anos atrás, deu uma pausa na carreira para cuidar da saúde.

“Pela primeira vez em anos, ele voltou à ativa!” Isso realmente o trouxe de volta à vida”, relatou Nick, animado. Ele está tocando melhor do que antes”, continuou. “Foi mágico, comovente e maravilhoso! Ver o músico Paul enxergando além do diagnóstico e ter o contato com os músicos foi uma coisa maravilhosa. Emocionante!”, finalizou Grace Meadowns, diretora da campanha Music for Dementia.