Homem escreve livro sobre imigração e destina lucro para famílias haitianas reencontrarem os filhos

O jornalista brasileiro, Herison Schor, de 28 anos, escreveu livro chamado ‘O 9º Poste da rua XV de Novembro’.  O romance fala sobre as dores da imigração e foi feito com o objetivo de ajudar as famílias haitianas a reencontrarem seus filhos

Resumo da Notícia

  • O jornalista brasileiro, Herison Schor, de 28 anos, escreveu livro chamado ‘O 9º Poste da rua XV de Novembro’
  • O romance fala sobre as dores da imigração
  • A obra foi feita com o objetivo de ajudar as famílias haitianas a reencontrarem seus filhos

O jornalista brasileiro, Herison Schor, de 28 anos, escreveu um livro chamado ‘O 9º Poste da rua XV de Novembro’.  O romance fala sobre as dores da imigração e foi feito com o objetivo de ajudar as famílias haitianas a reencontrarem seus filhos.

-Publicidade-

Segundo o Razões Para Acreditar, a obra foi inspirada na própria história do autor, já que sua família fugiu da Alemanha para o Brasil durante a 2º Guerra Mundial. E na da família de Pierre, garoto haitiano que vive no Brasil.

Apesar deste ser o primeiro livro de Schor, os planos traçados com os lucros das vendas já têm destino certo: ele usará os recursos para pagar as passagens de crianças que ficaram no Haiti, para que possam se unir aos pais no Brasil.

Seu livro é um romance infanto-juvenil que conta a história de Marília, uma professora de língua portuguesa idosa que mora em frente ao nono poste da Quinze de Novembro, rua famosa de Joinville. Em uma das aulas, ela conhece Mahaila, uma menina haitiana que havia acabado de chegar ao país.

O jornalista brasileiro Herison Schor escreveu romance que foi feito com o objetivo de ajudar  famílias haitianas a reencontrarem seus filhos.(Foto: Getty Images)

Ao se dar conta da tristeza da garota, a professora a convida para um café. E é neste momento que elas revisitam o passado e a idosa acaba revelando que um dia também foi uma menina que teve que deixar sua terra natal para viver no Brasil.

Segundo ele, a vontade de reverter o dinheiro das vendas do livro em reencontros de pais e filhos surgiu no instante em que nasceu desejo de escrever sua primeira obra. Um dos pais para quem pretendo entregar o dinheiro não sabe, mas foi por causa dele que tudo isso começou, quando vi uma foto sua circulando nas redes sociais. Ele estava vendendo doces brasileiros e segurando uma plaquinha escrito: ‘Compre uma cocada e ajude a trazer minha família para o Brasil’. Nos comentários, houve quem disse: ‘Eu só compro se for para você comprar a passagem pra voltar pra lá’. A partir desse momento, senti que era hora de agir”afirmou.