Homem que manteve esposa e filhos em cárcere privado tinha o apelido de ‘DJ’ por abafar gritos

As três vítimas, a mulher e os dois filhos, acabaram ficando na situação precária por 17 anos

Resumo da Notícia

  • Homem acusado de manter a companheira e os dois filhos em cárcere privado era apelidado de 'DJ'
  • O apelido foi dado graças ao fato do suspeito colocar música alta para tocar com a intenção de abafar os gritos dos familiares
  • Pelo crime, o acusado acabou sendo preso e as vítimas foram encaminhadas ao hospital

Além da tremenda situação de manter a mulher e dois filhos em cárcere privado por 17 anos, segundo a Polícia Militar, Luiz Antônio Santos Silva, também conhecido como DJ, foi preso nesta quinta-feira, 28 e possuía outros costumes de crueldade e violência.

-Publicidade-
O casal de filhos, um rapaz de 19 anos e uma jovem de 22 anos, estavam presos junto com a mãe (Foto: Reprodução / O Globo)

Um dos ritos tem conexão com o próprio apelido do acusado, ‘DJ’. O homem era conhecido assim na vizinhança da rua onde residia, no bairro da Foice, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, pela razão de colocar o som muito alto dentro de casa. Entretanto, o que parecia ser um simples hábito, tinha, de fato, a intenção de abafar os possíveis gritos de socorro dos três encarcerados.

“Aqui é difícil ouvir alguma coisa porque as crianças gritavam e ele botava o som bem alto. Tanto é que chamavam ele de DJ”, relatou uma vizinha.

A família foi levada ao hospital com quadro de desidratação e desnutrição grave (Foto: Reprodução / O Globo)

Outros vizinhos contaram ainda que conseguiam ouvir choros vindos da casa e gente pedindo comida; a mãe e os dois filhos viviam em uma situação completamente sub-humana, amarrados e sem qualquer higiene. “Ele mantinha ela e as duas crianças em cárcere privado e é até emocionante estar falando. Vimos o estado que as duas crianças saíram daqui e mais uma semana, acho que não iriam mais sobreviver”, contou uma vizinha ao falar sobre os dois jovens de 19 e 22 anos, os quais possuíam aparência de crianças de 10 anos em razão da subnutrição.

Na manhã desta quinta-feira, 28, após receberem uma denúncia anônima, policiais militares foram até a casa checar o caso, mas tiveram que levar as vítimas para o Hospital Rocha Faria para que elas se restabelecessem. “A situação era estarrecedora”, contou o policial que prestou socorro.

As vítimas estavam amarradas, sujas e subnutridas (Foto: Reprodução / O Globo)

A Secretaria Municipal de Saúde informou às mídias que a mulher e os garotos que estavam em cárcere privado apresentam quadro de desidratação e desnutrição grave, porém estão recebendo todos os cuidados clínicos devidamente precisos, além do acompanhamento dos serviços social e de saúde mental.

Assista agora ao POD&tudo com Marcos Piangers e Ana Cardoso! Em um bate papo muito divertido, eles falam da estreia do filme “O Papai é Pop”, inspirado no best-seller de Piangers, interpretado por Lázaro Ramos e Paolla Oliveira, que estreia no próximo dia 11 de agosto.