Hospital Albert Einstein cria 1º teste de coronavírus em larga escala e nos enche de esperança

O novo método será mais barato e preciso do que o exame convencional e já possui data para ficar disponível no centro médico sem falso-positivos

Resumo da Notícia

  • O novo teste para coronavírus permite que 1536 amostras sejam analisadas ao mesmo tempo
  • O exame será mais preciso e barato do que o convencional
  • Este será o primeiro teste em larga escala
  • O projeto é desenvolvido pelo Hospital Albert Einstein
O teste ficará disponível em junho (Foto: Getty Images)

Para permitir que os testes de coronavírus sejam feitos mais rápido e em maior quantidade, o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, desenvolveu um novo tipo de diagnóstico. Com o método, será permitido com que 1.536 amostras sejam investigadas ao mesmo tempo, cerca de 16 vezes mais do que é possível realizar hoje com a forma convencional, RT-PCR.

-Publicidade-

Registrado pelo Sistema Internacional de Patentes dos Estados Unidos, o exame se diz 100% eficaz e não gera falso-positivos. O valor, ainda não fechado, poderá ser ainda menor do que o do teste convencional, que custa em torno de R$ 250.

A proposta do projeto é de que o método de testagem seja realizado em massa na população, para tentar conter a pandemia do novo coronavírus. A tecnologia é baseada no Sequenciamento de Nova Geração (NGS), que permite fazer a leitura das doenças com fragmentos de DNA. No caso da pesquisa desenvolvida pelo Hospital, será possível analisar também o RNA, que compõe o material genético. No caso do Sars-Cov-2 e de didersos outros vírus, ele é formado apenas por RNA.

-Publicidade-
O exame será mais preciso e barato do que o convencional (Foto: Getty Images)

Em entrevista à Folha de São Paulo, Sidney Klajner, presidente do Einstein, disse que o teste começou a ser desenvolvido há dois meses: “Chegamos ao diagnóstico com uma escala muito maior. Com equipamento que a gente tem no Einstein, vamos passar de 96 testagens por rodada para 1.536. Por semana, poderemos fazer 24 mil testes”.

A coleta de amostras será realizada a partir de cotonetes estéreis, que entram em contato com a região nasal ou pela saliva. O novo tipo de teste estará disponível no Hospital até o início do mês de junho.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-