Ibuprofeno: Ministério da Saúde diz que remédio não deve ser usado para sintomas de coronavírus

A Organização Mundial da Saúde explica que o medicamento não contém provas científicas, mas por precaução, o Ministério pede para que as pessoas substituam por outros remédios

Resumo da Notícia

  • É recomendado a substituição por dipirona ou paracetamol
  • Quem já faz uso do medicamento, é importante conversar com um médico
  • Não é recomendável fazer o corte da medicação
  • O Ministério da Saúde tomou a medida como forma de prevenção
Como a medicação ainda não foi confirmada se realmente faz mal ao organismo, o Ministério recomenda a substituição (Foto: Getty Images)

Uma nova medida, divulgada pelo Ministério da Saúde na última terça-feira, 17 de março, recomenda que as pessoas não façam uso de ibuprofeno e outros anti-inflamatórios não esteroidais em quem apresentar os sintomas no novo coronavírus.

O ministério indica apenas o uso de medicações analgésicas como paracetamol e dipirona, por exemplo. Mas, para quem faz uso de remédios que possuem ibuprofeno, não devem retirar sem antes conversar com um médico. Os anti-inflamatórios são comuns para tratar dor, febre, inflamações e cólicas menstruais.

Na quarta-feira, 18 de março, em uma nota oficial divulgada pelo secretário-executivo, João Gabbardo, foi afirmado que: “Diante das incertezas e da lacuna de evidências comprovada sobre o tópico, recomenda-se o não uso de Ibuprofeno e outros AINES [anti-inflamatórios não esteroidais, sendo preferível as medicações analgésicas, tais como paracetamol e dipirona”.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, foi publicado nas redes sociais na manhã desta quinta-feira, 19 de março que “por precaução, recomenda-se a substituição do ibuprofeno por outros analgésicos. Recomenda-se ainda que: “é fundamental que a substituição de medicamentos seja feita com recomendação de um profissional de saúde”.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, ela explica que: “está ciente das preocupações sobre o uso de anti-inflamatórios não esteroidais (isto é, ibuprofeno) para o tratamento da febre em pessoas com Covid-19″, mas “após uma rápida revisão da literatura [pesquisas científicas], a OMS não está ciente dos dados clínicos ou de base populacional publicados sobre esse tópico”.

Comunicado do Ministério (Foto: Divulgação)

A OMS explica ainda que as conclusões foram tiradas a partir de ouvir médicos que trataram pacientes com covid-19. “Não temos conhecimento de relatos de efeitos negativos do ibuprofeno, além dos efeitos colaterais conhecidos usuais que limitam seu uso em determinadas populações”. Mas, como forma de precaução pela incerteza dos efeitos do medicamento, o Ministério da Saúde recomenda o não uso até que se tenham mais informações.

Em entrevista à TV Globo, a Sociedade Brasileira de Cardiologia também reforça para que as pessoas não deixem de usar o ibuprofeno caso já estejam tomando, pois o composto é muito comum em medicamentos de hipertensão. “Consulte o seu médico”, indica.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!