Idosa fica entre a vida e a morte após ser prensada em elevador em movimento

Filha da professora aposentada revelou sua preocupação com o quadro clínico

Resumo da Notícia

  • Idosa ficou entre a vida e a morte após ser prensada em elevador em movimento;
  • A mulher segue sob os cuidados médicos após a porta de segurança abrir durante o trajeto;
  • A filha da professora aposentada revelou sua preocupação com o quadro clínico da mulher de meia-idade.

Nesta quinta-feira, 03 de fevereiro, uma mulher de 76 anos precisou ser socorrida após quase ser esmagada por um elevador no prédio da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação), em Campo Grande. Uma falha na porta fez com que a mulher entrasse no poço do elevador no momento em que a cabine descia para o térreo.

-Publicidade-

Testemunhas que estavam no local junto da mulher contaram que a cabine do elevador foi acionada no segundo andar para descer até o térreo. No momento em que a cabine descia, a vítima também acionou o elevador e a porta de segurança se abriu mesmo com o elevador ainda em movimento.

A mulher não notou a ausência da cabine na hora de entrar no elevador e acabou caindo no poço
A mulher não notou a ausência da cabine na hora de entrar no elevador e acabou caindo no poço (Foto: Freepik)

Sem perceber a falta da cabine, a idosa entrou no poço do elevador no momento em que a cabine descia para o térreo. Ao perceber a situação a mulher gritou e conseguiu chamar atenção da pessoa que estava no interior da cabine, que acionou a parada de emergência, mas ainda sim, a cabine atingiu a vítima.

Segundo o presidente da ACP, Lucílio Nobre, presente no local, o elevador foi instalado há 10 anos e teve sua última manutenção na semana passada, e nos anos de funcionamento nunca apresentou falhas, comentou. Equipes do Corpo de Bombeiros estiveram no local e socorreram a vítima que foi encaminhada para a Santa Casa.

Quadro clínico

Tatiana Januário, filha da idosa, contou ao Midiamax sua preocupação com o estado de saúde da mãe, que está internada na Santa Casa. A mulher de 32 anos diz que está no hospital desde às 10h da manhã e até o final da tarde de hoje ainda não tinha conseguido ter contato com a mãe, o que aumenta a sua aflição.

“Estou muito preocupada. Fiquei sabendo o que aconteceu por meio de colegas, mas ainda não consegui ver a minha mãe pessoalmente. Fiquei sabendo que ela está com uma fratura e agora me parece que também testou positivo para a covid. Só vou ficar mais calma quando ela me contar o que de fato aconteceu. É desesperador, minha mãe poderia não estar mais aqui”, exclamou a enfermeira.