Idosa serial killer que preparava doces com a carne das vítimas morre após ser infectada pela covid-19

Sofia Zhukov, de 81 anos, contraiu a doença na prisão, onde aguardava pelo julgamento. Ela foi levada ao hospital, mas não resistiu

Resumo da Notícia

  • Uma idosa serial killer faleceu após contrair coronavírus
  • Ela é acusada de três crimes
  • Rumores supunham que ela fazia doces com os restos das vítimas

Sofia Zhukov, de 81 anos, faleceu no dia 29 de dezembro, após contrair coronavírus. A idosa russa ficou conhecida mundialmente após a revelação de um crime bárbaro que cometeu e estava na prisão aguardando julgamento.

-Publicidade-
Ela estava aguardando julgamento na prisão (Foto: reprodução/Daily Mail)

Ela foi contaminada no presídio e foi levada ao hospital, mas não resistiu. A serial killer chamou a atenção por não apenas matar as pessoas, mas cozinhar doces com as carnes das vítimas, de acordo com rumores. Segundo informações do Daily Mail, ela seria acusada de três crimes.

Um deles, com uma menina de 7 anos, que ela sequestrou e manteve por semanas até decepar a cabeça. Após 14 anos da tragédias, peritos forenses encontraram o DNA da menina no banheiro da idosa.

-Publicidade-

Ela também é suspeita de matar o zelador, Vasily Shlyakhtich e alguns órgãos do homem, inclusive, teriam sido encontrados na geladeira de Sofia.

A suspeita é que ela tenha cometido três crimes (Foto: reprodução/Daily Mail)

No julgamento, foram mostrado vídeos da russa usando um machado para imitar como havia matado as vítimas para os detetives. No depoimento, ela disse: “Eu matei o zelador, mas ele me estuprou. O que você acha que eu deveria ter feito? Piquei ele com um machado”.

Além dos casos acima, também suspeita que Sophia tenha matado uma amiga de 77 anos. Os crimes tiveram início em 2005, mesmo ano em que foi para a prisão após os policiais descobrirem intestinos humanos em sua geladeira, mas ela negou ser canibal.

-Publicidade-