Idoso mantém em casa corpo de esposa morta por 21 anos e justifica: “Amor eterno”

Charn Janwatchakal está com 72 anos de idade e se emocionou durante a despedida da mulher. Após sofrer um acidente e temer pela vida, ele pediu ajuda para realizar a cremação

Resumo da Notícia

  • Charn Janwatchakal manteve o corpo da esposa falecida em casa por mais de duas décadas
  • O homem de 72 anos contou que isso seria uma prova de "amor eterno"
  • Depois de sofrer um acidente, ele pediu ajuda para realizar a cremação

Charn Janwatchakal, de 72 anos de idade, de Bangkok, na Tailândia, manteve o corpo da esposa, falecida, por 21 anos na casa onde mora. Depois desse tempo, no último dia 30 de abril, o homem contou com a ajuda da Phet Kasem Bangkok Foundation para dar adeus.

-Publicidade-
Idoso ficou com o corpo da esposa morta em casa por 21 anos
Idoso ficou com o corpo da esposa morta em casa por 21 anos (Foto: reprodução/The Nation/Asia News Network)

De acordo com o portal The Straits Times, ele se emocionou durante a despedida. Em um vídeo, ele ainda diz: “Você está apenas indo para um rápido compromisso e vai voltar para casa de novo. Não vai demorar muito, eu prometo”.

Ainda segundo o veículo, o homem mantinha a esposa em um quarto em casa, que usava basicamente para dormir e mantinha um diálogo com a mulher, como se ela estivesse viva. Para ele, manter a esposa perto é uma prova de “amor eterno”.

Um homem de 72 anos decidiu não enterrar a esposa, mas mantê-la em casa após a morte
Charn Janwatchakal se emocionou durante cremação da esposa (Foto: reprodução/Facebook/Min Myat Mg Mg)

O homem passou a ter ajuda da Phet Kasem Bangkok Foundation, após um acidente de moto. A organização levava água e comida para ele. Com medo de não resistir, ele contou sobre a esposa e pediu auxílio para realizar a cremação, para que ela tivesse um enterro digno.

A esposa do idoso de 72 teve o sepultamento após mais de 20 anos da sua morte
A esposa do idoso de 72 teve o sepultamento após mais de 20 anos da sua morte (Foto: reprodução/The Nation/Asia News Network)

Apesar da surpresa dos membros da fundação ao ver a situação, Charn já havia registrado a morte da esposa e, portanto, nenhuma ação legal será colocada sob ele. Segundo o que consta, a mulher faleceu em 2001.