Ilana Kalil, esposa do ginecologista Renato Kalil, fez post sobre ser censurada horas antes da morte

Nutricionista e instrumentadora cirúrgica, Ilana Kalil foi encontrada morta nesta segunda-feira (14). Ela deixa o marido, o ginecologista Renato Kalil, e duas filhas

Resumo da Notícia

  • Ilana Kalil fez um post falando sobre ser censurada horas antes de morrer
  • Ela foi encontrada sem vida nesta segunda-feira, 14 de março
  • Ilana é esposa do famoso ginecologista Renato Kalil

Nesta segunda-feira, 14 de março, Ilana Kalil fez um post em suas redes sociais falando sobre censura horas antes de morrer. Na imagem, compartilhada em seu Instagram, ela escreveu em um fundo preto: “Fui censurada de novo. E lá vai… quem viu, viu. Quem não viu, não vai ver mais. E viva a ditadura”, escreveu ela.

-Publicidade-
Ilana Kalil falou sobre ser censurada horas antes de morrer
Ilana Kalil falou sobre ser censurada horas antes de morrer (Foto: Reprodução Instagram @ilanakalil)

Nesta segunda-feira, 14 de março, Ilana Kalil foi encontrada morta em seu apartamento aos 40 anos. Ela é esposa do ginecologista Renato Kalil, médico famoso que foi acusado de violência obstétrica pela influenciadora Shantal Verdelho no parto de sua segunda filha.

A morte de Ilana foi confirmada pela assessoria de imprensa do médico e pela Secretaria de Segurança Pública. Ela era nutricionista e instrumentadora cirúrgica. Além do marido, ela deixou duas filhas. O caso foi registrado como suicídio e está sendo investigado com os detalhes do caso preservados.

Renato Kalil é acusado de violência obstétrica por Shantal

Nesta sexta-feira, dia 10 de dezembro, um áudio de 5 minutos e alguns vídeos gravados pelo marido de  Shantal , Mateus Verdelho, foram vazados na internet. No conteúdo compartilhado, a influenciadora comentou sobre o caso de violência obstetrícia que sofreu durante o parto de 48 horas da filha caçula, Domenica, que nasceu em setembro deste ano.

Após a repercussão do caso, a influenciadora afirmou que pediu a suspensão das atividades médicas de Renato Kalil ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP). De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, foram ouvidos 18 depoimentos sobre o caso de Shantal e o marido, Mateus Verdelho. No entanto, o advogado de defesa da família, afirmou que a artista quer evitar que o médico faça novas vítimas.

“Após a descoberta de diversos crimes por ele praticados, muitos deles no exercício da medicina, significa conceder um salvo-conduto ao investigado para que pratique novos crimes, contra mais vítimas. E mais: demonstrará absoluta falta de respeito com as vítimas desses crimes, que buscam não apenas a punição do investigado pelos seus atos, mas principalmente a prevenção dessas práticas, considerando o grande sofrimento que passaram”, afirmou a petição, em nota.