Instagram vai criar uma versão do APP para crianças menores de 13 anos, diz site

De acordo com informações do BuzzFeed News, a novidade vem de um interesse da marca no público mais jovem. Conversamos com uma especialista sobre os pontos positivos e negativos dessa criação

Resumo da Notícia

  • Instagram vai criar uma versão do APP para crianças menores de 13 anos, diz site
  • De acordo com informações do BuzzFeed News, a novidade vem de um interesse da marca no público mais jovem
  • Dra. Ivanice Cardoso explica os pontos positivos e negativos dessa novidade

Os executivos do Instagram estão planejando construir uma versão do aplicativo para crianças com menos de 13 anos, segundo informações da BuzzFeed News. “Estou animado em anunciar que, daqui para frente, identificamos o público jovem como uma prioridade para o Instagram e o adicionamos à nossa lista de prioridades H1”, escreveu Vishal Shah, vice-presidente de produto do Instagram, em um quadro de mensagens de funcionários do jornal  na quinta-feira.

-Publicidade-
Instagram pretende criar app para menores de 13 anos (Foto: Getty Images)

“Estaremos construindo um novo pilar da juventude dentro do Grupo de Produto da Comunidade para focar em duas coisas: (a) acelerar nosso trabalho de integridade e privacidade para garantir a experiência mais segura possível para adolescentes e (b) construir uma versão do Instagram que permita às pessoas com menos de aos 13 anos para usar o Instagram com segurança pela primeira vez”, completa o bilhete. Atualmente, a política do Instagram proíbe crianças menores de 13 anos de usar o serviço.

De acordo com a postagem, o trabalho seria supervisionado por Adam Mosseri, chefe do Instagram, e liderado por Pavni Diwanji, um vice-presidente que ingressou na empresa controlada pelo Facebook em dezembro. Anteriormente, Diwanji trabalhou no Google, onde supervisionou os produtos voltados para crianças, incluindo o YouTube Kids.

O anúncio interno veio dois dias depois do Instagram dizer que precisa tomar mais atitudes para proteger os usuários mais jovens. Após a cobertura e as críticas públicas sobre o abuso, intimidação ou predação enfrentada por adolescentes no aplicativo, a empresa publicou uma postagem no blog na terça-feira com o título “Continuando a tornar o Instagram mais seguro para os membros mais jovens de nossa comunidade”.

Essa publicação não menciona a intenção do Instagram de criar um produto para crianças menores de 13 anos, mas afirma: “Exigimos que todos tenham pelo menos 13 anos para usar o Instagram e pedimos aos novos usuários que informassem sua idade ao criarem uma conta”.

O anúncio estabelece as bases para como o Facebook planeja expandir o número e perfil de usuários. Embora várias leis limitem a forma como as empresas podem criar produtos para crianças, o Instagram claramente vê as crianças com menos de 13 anos como um segmento de crescimento viável, principalmente por causa da popularidade do aplicativo entre os adolescentes.

Em entrevista à Pais&Filhos, a Dra. Ivanice Cardoso, mãe de Helena e Beatriz, nossa supercolunista e especialista em direito de imagem e consultora para comportamento seguro na internet, disse que vê essa novidade com bons olhos, mas é preciso se atentar aos perigos das redes sociais. “Eu vejo as iniciativas da indústria em criar segurança para crianças sempre de forma positiva. Mas quando estamos falando de uso de redes sociais os perigos não se limitam aos contatos que as crianças possam fazer com predadores ou situações de ciberbullying, por exemplo”, começa ela, explicando.

“Tecnologias que usam a “barra de rolagem infinita – endless scroll” (como o Instagram, Facebook, Tiktok e tantas outras)  são consideradas prejudiciais e viciantes, tanto para adultos quanto para crianças. E essa tecnologia está presente nas redes sociais. Assim também como a publicidade dirigida às crianças. Acho que esses são os grandes desafios para tornar uma rede social realmente segura para a criança”, completa.

Para Dra. Ivanice, é fundamental que, mesmo em uma plataforma voltada para as crianças, os pais continuem monitorando a atividade delas. “Ainda não sabemos como exatamente essa área direcionada para crianças irá funcionar. Mas, a exemplo do que ocorre no Messenger Kids hoje, que é uma rede da família Facebook, os pais irão habilitar quem pode entrar em contato com a criança. E esse é um passo inicial muito importante para a criança entender como criar conexões seguras e realmente importantes para ela. Além, é claro, de se estabelecer um tempo de acesso da criança que seja adequado para a fase e realidade de vida dela e jamais deixar a criança sem um acompanhamento ou mediação, mesmo que os contatos estejam limitados, aponta.