CoronaVac é eficaz contra novas variantes: veja os resultados do Instituto Butantan

Durante a coletiva de imprensa realizada na tarde de hoje, 10 de março, foi apresentado um estudo que garante e eficácia da CoronaVac nas variantes de Manaus, do Reino Unido e também a sul-africana

Resumo da Notícia

  • A partir de estudos feitos pelo Instituto Butantan e a Universidade de São Paulo, a CoronaVac se mostrou eficaz contra as novas variantes do coronavírus
  • Mais 338 leitos serão abertos em São Paulo
  • Idosos de 72, 73 e 74 anos já possuem uma data de vacinação no estado

Nesta quarta-feira, 10 de março, o governo do estado de São Paulo realizou uma coletiva de imprensa para anunciar novas datas de vacinação em idosos, além de informar que a vacina do Butantan é eficaz contra as novas variantes encontradas no Brasil. Para tratar os pacientes com covid, mais leitos serão abertos nos próximos dias.

-Publicidade-
A partir da Vacina do Butantan, a CoronaVac, é possível também ser imunizado contra as variantes P1, P2, do Reino Unido e da África do Sul (Foto: Shutterstock)

Vacinação de idosos de 72, 73 e 74 anos em São Paulo

João Doria, governador do estado de São Paulo, também informou que idosos de 72, 73 e 74 anos serão vacinados. “Por favor, não concentrem em um único dia de 22 de março, ou uma única manhã. Basta se planejar e você será rapidamente vacinado”, pediu. A imunização começa no dia 22 de março, nos pontos drive-thru e Unidades Básicas de Saúde, representando 730 mil pessoas desta faixa etária.

CoronaVac é eficaz contra novas variantes encontradas no Brasil

Variantes são novas formas do mesmo vírus e possuem algumas características preocupantes”, explica Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan. Quanto as novas variantes da covid-19, a de Manaus, Reino Unido e sul-africana, a vacina do Butantan é eficaz contra todas elas. “A variante de Manaus preocupa e explica o momento grave da pandemia”.

Existem quatro variantes do coronavírus no mundo: a P1 e P2 (Brasil), B.1.1.7 (Reino Unido) e B.1.351 (África do Sul) (Foto: reprodução / youtube)

De janeiro para fevereiro, como acompanhado no projeto S, desenvolvido em Serrana, foi mostrado que a variante P1 era predominantemente, a mais agressiva. “Por isso, precisamos ter muita preocupação com as variantes e ver se as vacinas são eficazes contra elas”, comenta Dimas Covas.

O estudo do Instituto Butantan para checar a eficácia da CoronaVac foi feito em parceria com a Universidade de São Paulo (Foto: reprodução / youtube)

Com isso, o Instituto Butantan buscou analisar a fundo se a CoronaVac poderia ser eficaz contras as novas mutações. Foi concluído, em parceria com a Universidade de São Paulo, que o imunizante é capaz de produzir anticorpos neutralizantes contra as variantes P1 e P2 do Brasil, Reino Unido e África do Sul.

Novos leitos em São Paulo

O sistema de saúde pública será expandido em São Paulo. Serão abertos mais 338 novos leitos, sendo 167 de UTI. “Esse é o terceiro anúncio de novos leitos de atendimento primário e de UTI que fazemos em duas semanas, totalizando 1118 novos leitos hospitalares”, reforça João Doria.

Mas, Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde de São Paulo, fez um alerta: “Nós não daremos mais conta de abrir mais leitos. Precisamos da ajuda de todos. Que fiquem em casa se puderem, usem máscaras, que nos ajudem para que, desta maneira, possamos ajudar a quem precisa”, conclui.