Intervalo entre doses da Pfizer diminui de 12 para 8 semanas

A medida, anunciada nesta quarta-feira durante uma coletiva de imprensa, vale para o estado de São Paulo e começará a ser posta em prática a partir da próxima sexta-feira, 24 de setembro

Resumo da Notícia

  • O intervalo entre doses do imunizante da Pfizer diminuiu novamente
  • Dessa vez, é necessário esperar somente 8 semanas para tomar a segunda dose da vacina
  • A nova medida foi comunicada nesta quarta-feira durante uma coletiva de imprensa

Durante uma coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 22 de setembro, o governador do estado de São Paulo João Dória anunciou que o intervalo entre doses do imunizante da Pfizer irá diminuir. Anteriormente, a medida reduzia de 90 dias para apenas 21 entre a primeira e segunda dose da vacina, equivalente a 12 semanas. Agora, será necessário esperar apenas 8 semanas para receber as duas doses.

-Publicidade-

A medida passa a valer a partir da próxima sexta-feira, 24 de setembro, e também é válida para quem já tomou a primeira dose da vacina. “É uma decisão com respaldo da ciência. Temos pressa e senso de urgência para que toda população esteja completamente imunizada”, explicou o governador durante a coletiva de imprensa.

Intervalo entre doses da vacina Pfizer diminui de 12 para 8 semanas
Intervalo entre doses da vacina Pfizer diminui de 12 para 8 semanas (Foto: Freepik)

Última mudança entre intervalo de doses

O Ministério da Saúde informou que, a partir da quarta-feira, 15 de setembro, o intervalo entre a primeira e a segunda dose do imunizante Pfizer diminuiu de 90 para apenas 21 dias. O principal objetivo dessa medida é baixar a quantidade de casos da variante Delta.

“A partir do dia 15 só. Era doze semanas, agora serão oito semanas. Então, a partir do dia 15 há como assegurar vacinas para isso. Se, por ventura, a AstraZeneca, por conta de questões operacionais faltar, eventualmente, pode se usar a intercambialidade. Agora, o critério não pode ser ‘faltou um dia já troca’, senão a gente não consegue avançar”, disse o ministro da Saúde.

Vacina contra covid-19 da Pfizer é segura e produz resposta imune em crianças de 5 a 11 anos

As empresas Pfizer e BioNTech anunciaram, nesta segunda-feira, 20 de setembro, que a vacina desenvolvida por elas contra a covid-19 é segura e induziu uma resposta imune “robusta” em crianças de 5 a 11 anos. Vale ressaltar que os dados ainda são preliminares e precisam passar por avaliação de outros cientistas para serem publicados em algum periódico especializado, como apontado pelo G1.

Esses resultados vem de testes que estão nas fazes 2 e 3 efetuados pela empresa. Para essa pesquisa, participaram  4,5 mil bebês e crianças com idades entre 6 meses e 11 anos de quatro países: Estados Unidos, Finlândia, Polônia e Espanha.

Desses participantes, 2.268 tinham idades entre 5 e 11 anos. As crianças nessa faixa etária receberam uma quantidade menor do imunizante duas doses de 10 µg (microgramas) administradas com 21 dias de intervalo. Nas pessoas a partir dos 12 anos, a dose era de 30 µg.

De acordo com a empresa, os resultados dessas pesquisas foram positivos: as respostas imunológicas  nos participantes que receberam doses de 10 µg foram comparáveis às registradas em pessoas de 16 a 25 anos. Essa concentração de anticorpos, conforme dados apresentados pela Pfizer, foi medida um mês depois da aplicação da segunda dose.