Intuição materna! Mãe salva vida de dois filhos em assalto e cena emociona

Com um filho de 4 anos e grávida do segundo, mulher usa o corpo para proteger os filhos

Resumo da Notícia

  • Mãe salva vida dos filhos
  • Ela usou o corpo como escudo
  • Ela os protegeu durante um assalto
  • Veja mais na matéria abaixo!

Rafaela Dantas é dona de casa, mãe de um menino de 4 anos e está grávida segundo, em entrevista ao Fantástico, ela disse que: “Mãe faz loucuras para poder proteger, para poder guardar “. Domingo passado, ela estava jantando em uma lanchonete na Ceilândia, no Distrito Federal e o movimento estava tranquilo, quando dois assaltantes entraram no lugar. Na hora do perigo, o instinto materno, fala mais alto.

-Publicidade-

Era um dia tranquilo na vida dela, ela tinha ido na igreja e depois foi jantar com o filho Nicolas, porque o marido tinha marcado de encontrar alguns amigos e então foram todos para a lanchonete, eles já haviam acabado de jantar, quando o assalto aconteceu. Dois assaltantes entram armados para tentar roubar um celular de um homem, que reage ao assalto. Enquanto um deles corre, o outro entra atirando. A reação da mãe é se jogar no chão e criar um escudo com o corpo para proteger os filhos, ela está grávida de seis meses.

“Na minha mente só veio que ele estava armado e que ele ia atirar, como eu não conseguiria correr nem para frente, nem para fora da lanchonete, eu só puxei ele para o chão. E fiz o corpo de escudo, porque foi a única forma que eu enxerguei naquele momento de proteger eles.”, ela conta em entrevista. De outro ângulo, é possível ver imagens de mais duas mulheres, uma delas protege o bebê e outra, consegue levar uma criança para longe da confusão. “É algo muito rápido e já vem da mãe, mãe não pensa duas vezes antes de proteger o filho e acaba não medindo as consequências do que pode acontecer com a gente”.

-Publicidade-

Ninguém ficou ferido e os assaltantes foram presos, para o delegado Pablo Aguiar, a atitude da mãe diminuiu as chances de os filhos serem atingidos. Ele fala que o primeiro passo é não reagir ao assalto e que o rapaz que reagiu, não tinha visto que tinha outra pessoa, na parte externa, aramada. “No caso da mãe que se joga ao filho, ela fez o certo, porque ao se jogar ao chão, ela diminui a massa onde uma bala perdida pode atingir”.

A neurocientista Bruna Velasques explica que: “O vínculo, ele se constrói muito mais após o nascimento, claro que na gestação a mulher começa a se preparar, tem mudanças hormonais. Mas, a mudança de neurotransmissores é vista também em mães adotivas e nos pais.”

 

 

-Publicidade-