Jovem dá aulas para grupo de agricultores realizarem a prova do Enem

Mateus Barbosa tirou 980 na redação na última edição e quer dar uma chance para que outras pessoas possam ter a oportunidade de irem bem na prova

Resumo da Notícia

  • Jovem deu aulas para agricultores no Amapá
  • O objetivo é para que eles vão bem na prova do Enem
  • Mateus quer dar uma oportunidade para outras pessoas ingressarem em uma universidade

Mateus Barbosa, agricultor de 19 anos, tirou 980 pontos na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2020 e começou a dar aulas para um grupo de candidatos no Amapá, com o intuito de ajudá-los a ter uma condição de vida melhor através da formação em uma universidade.

-Publicidade-

Os alunos do jovem realizaram a prova na escola Vidal de Negreiros nos últimos domingos, 22 e 29 de novembro. O casal de agricultores Ijanilson da Silva, de 30 anos, e Ivonete Barbosa, de 23, fizeram parte do grupo de ensino de Mateus e desejam ingressar em cursos relacionados à área da saúde.

Grupo de agricultores estudam para o Enem
Grupo de agricultores estudam para o Enem (Foto: Reprodução / Razões Para Acreditar)

“Na redação fui ótimo, apesar de ser um assunto difícil. Com o que aprendi com o Mateus, acho que vai dar pra tirar uma nota boa na redação. E acho que hoje vai ser mais fácil que o 1º dia. Fazer o Enem é oportunidade de melhorar de vida e ter mais conhecimento”, disse Ijanilson que pretende estudar Enfermagem.

“Quero mudar de vida. Acho que a fisioterapia vai me dar mais oportunidades e ajudar minha família”, afirmou Ivonete, que deseja ingressar no curso de Psicologia. No ano passado, a jovem tirou 960 na redação.

O estudante do 1º ano do ensino médio, Viktor Mamede, de 15 anos, decidiu realizar a prova como treineiro para os próximos anos. “Eu quero me preparar para quando fizer valendo no 3º ano. Comecei a estudar o curso de redação com o Mateus há 2 meses. O 1º dia foi tranquilo, apesar da prova um pouco difícil. Acho que hoje me saio melhor”, disse ele, que pretende entrar em Enfermagem.

O professor do grupo, Mateus Barbosa deseja ingressar ao curso de Medicina Veterinária, que é ofertado somente em uma Universidade no Amapá, o Instituto Federal do Amapá (Ifap), que não aderiu ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) este ano.

“Eu estou muito feliz. Fiquei nervoso pelas responsabilidades do primeiro dia, por causa da redação. Meu sonho é que eu e eles tiremos uma boa nota, acima de 900 pontos, para mostrar pros outros alunos que é possível quando há empenho. A educação transforma o mundo”, disse ele.