Jovem pede ajuda para o negócio do pai nas redes e atrai fila de clientes com o post

Elias tem um food truck que não estava vendendo na pandemia. A filha dele pediu ajuda no Twitter e o resultado foi melhor do que esperavam

Resumo da Notícia

  • Elias é dono de um food truck
  • O negócio não estava indo bem na pandemia
  • A filha dele postou no Twitter pedindo ajuda para divulgarem o trabalho do pai
  • O post viralizou e eles receberam filas de clientes

As coisas não tem sido fáceis para os trabalhadores desde o início da pandemia. O movimento caiu com as pessoas ficando mais em casa para se proteger do vírus e muitos negócios acabaram quebrando. Com medo de que esse se tornasse o resultado do próprio pai, uma jovem resolveu o problema com um único post.

-Publicidade-

Giselle Aviles, de 21 anos, sabia que o food truck do pai, Elias, não ia bem. Eles tem uma relação próxima e ela estava preocupada com o estresse que ele estava passando nas últimas semanas por conta da falta de clientes.

Mas as coisas ficaram realmente tristes quando Elias contou que depois de 12 horas de trabalho num sábado, ele vendeu apenas 6 dólares, aproximadamente 30 reais. Giselle começou a pensar em alternativas para reverter a situação.

-Publicidade-
Com a pandemia, as pessoas passaram a comer mais em casa e o negócio de Elias estava sem clientes

Ela apelou paras redes sociais e conseguiu um resultado melhor do que esperava. No dia seguinte que publicou no Twitter a história pedindo ajuda para divulgarem o food truck, o post já tinha mais de 2 mil compartilhamentos.

“Eu normalmente não faria isso, mas o food truck de tacos do meu pai está lutando para sobreviver, ele só vendeu $6 hoje. Se puderem retweetar, eu vou agradecer muito!”, escreveu Giselle. E a mensagem não ficou simplesmente na internet, ela funcionou.

Uma jovem resolveu pedir ajuda nas redes sociais e conseguiu clientes para o negócio do pai (Foto: iStock)

Durante a semana, Elias e o food truck tiveram filas de clientes esperando para provar a comida. Os primeiros dias foram tão corridos que ele chegou a precisar fechar o restaurante por alguns minutos para poder recarregar os estoques.

“Eu fiquei tocada porque as pessoas finalmente sabem que a comida dele é boa. Tinha muita gente e meu pai ficou meio chocado pois não esperava uma reviravolta assim”, contou a jovem ao site KHOU.

-Publicidade-