Jovem que perdeu pai, mãe e irmã para a Covid, cria ação voluntária para ajudar outras famílias

Maria Clara Honorato, jovem que perdeu toda a família em decorrência da contaminação da covid-19, decidiu criar uma ação voluntária para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social

Resumo da Notícia

  • A Maria Clara Honorato perdeu a mãe, o pai e a irmã, em decorrência da pandemia da covid-19
  • Com o marco de 1 ano de falecimento dos familiares, ela decidiu criar uma ação voluntária para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social
  • A atividade ocorrerá até o dia 8 de junho

Os familiares e amigos de Manoel Honorato, Noélia e Bianca Maranhão, tiveram a ideia de criar uma ação solidária em prol de pessoas em situação de vulnerabilidade social em Teresina. A atividade consiste, basicamente, em arrecadar e doar cestas básicas. O projeto ocorrerá até o dia 8 de junho, mês que simboliza um ano de falecimento dos familiares citados acima, os quais foram vítimas fatais da covid-19.

-Publicidade-

A jovem Maria Clara Honorato, de 23 anos, contou em entrevista ao g1, que a iniciativa foi inspirada nos pais Manoel e Noélia, e na irmã Bianca – que, de acordo com ela, sempre a ensinaram sobre o valor e a grande importância da solidariedade.

As doações devem ser feitas no bairro Planalto Uruguai, localizado na Zona Leste da capital. Segundo a Maria Clara, quem não puder doar os itens requeridos, pode fazer uma singela contribuição por meio de PIX ou transferência bancária.

“A ideia veio do desejo de conseguir ressignificar o luto de uma forma mais tranquila, em que eu, nossa família e amigos nos sentíssemos mais próximos deles de um modo mais leve e realizando alguma coisa que eles faziam e se sentiam felizes. Eles sempre serão lembrados por levar amor ao próximo”, disse Maria Clara.

Momento da ação solidária organizada por Maria Clara
Momento da ação solidária organizada por Maria Clara Honorato (Foto: Reprodução / Arquivo pessoal)

A ação solidária faz parte do projeto social Abraçando o Bem, criado em 2020 por Maria Clara, pela irmã Bianca e mais um grupo de amigos. De acordo com a Maria, o grupo tem a intenção de amenizar o sofrimento de famílias carentes, as quais enfrentam os desafios financeiros desde o início da pandemia da covid-19.

“O projeto começou durante a pandemia, a gente fazia entrega de comida para o pessoal [em situação] de rua, uma vez por semana. Essa população aumentou muito e a gente passou a fazer arrecadação de cestas básicas e entregar nas comunidades mais necessitadas. Uma delas, que sempre é beneficiada, é da região do Vale do Gavião”, falou.

Em complemento, explicou: “Já entregamos no Árvores Verdes também. Na última campanha, arrecadamos 31 cestas. Iremos marcar um dia para receber donativos no Parque da Cidadania, todas as informações serão postadas nas redes sociais do projeto”.

Falecimento da família 

O Manoel Honorato Nascimento Filho e a professora Noélia Maranhão, foram internados com covid-19 no dia 12 de maio de 2021. Dias depois, a nutricionista Bianca Maranhão, filha do casal, também foi hospitalizada com a doença.

Mas, infelizmente, no dia 26 de maio, a Bianca não resistiu às complicações do vírus e morreu. Dias depois, em 5 de junho, a Noélia faleceu. Já o Manoel, que tinha hipertensão e chegou a receber a primeira dose da vacina contra a covid-19, morreu em 8 de junho.