Jovem salva família após notar que gás altamente tóxico estava sendo liberado das joias

Lucy, estudante de química, da Inglaterra, notou um gás altamente tóxico estava sendo liberado das joias, que poderia causar envenenamento

Resumo da Notícia

  • Jovem notou gás químico sendo liberado das joias
  • A substância era capaz de envenenar todos os presentes no imóvel
  • A família passou por exames e ninguém foi infecctado

Uma estudante de química, Lucy, de 22 anos, salvou a família após notar que as joias de prata dos pais estavam ficando escuras. A casa precisou ser interditada, pois os objetos exalaram um gás altamente tóxico pelo ambiente, fazendo com que todos fossem encaminhados ao hospital de Helmdon, na Inglaterra.

-Publicidade-

A família relatou ter sentido um cheiro peculiar na casa há dois dias. Segundo a jovem, o odor era semelhante ao de um animal morto ou ovo podre. “Limpamos todos os ralos para ter certeza de que não estavam entupidos e até mandamos verificar a caixa de óleo. Sabíamos que o cheiro era mais forte na garagem”, contou a estudante ao Oxfordshire Live.

Joia escurecida com gás tóxico
Joia escurecida com gás tóxico (Foto: Reprodução / Oxfordshire Live / UOL)

No dia seguinte, perceberam que o cheiro continuou e Júlia notou que ele vinha das joias que estavam guardadas dentro do guarda-roupa. Com os conhecimentos que tinha sobre o assunto, a jovem relembrou que o sulfeto de hidrogênio tinha um cheiro muito semelhante ao que estavam sentindo, devido a oxidação. Portanto, a família resolveu acionar o Corpo de Bombeiros e a casa precisou ser isolada por um tempo.

“Os efeitos [da inalação de sulfeto de hidrogênio] variam de leves dores de cabeça ou irritação nos olhos, a muito graves, como quadros de inconsciência e até a morte”, afirmou o site do Governo dos Estados Unidos.

“Sabíamos que o gás poderia ser tóxico e chamamos o corpo de bombeiros. Eles ficaram aqui cerca de sete horas. Havia quatro carros de bombeiros e uma ambulância para verificar nossos níveis de oxigênio no sangue e fazer exames”, contou a mãe.

Embora a família tenha estado presente com a substância tóxica por dois dias, os exames de sangue mostraram que nenhum deles haviam sido afetados com o ocorrido.