Juliette fala pela primeira vez sobre diagnóstico de aneurisma, mesma doença que matou irmã dela

A ex-participante do BBB revelou no programa ‘Conversa com Bial’ que precisou fazer uma cirurgia por causa do aneurisma

Resumo da Notícia

  • Juliette foi diagnosticada com aneurisma
  • Essa doença é a mesma que matou a irmã da paraibana
  • No programa 'Conversa com Bial' Juliette abriu o coração sobre o diagnóstico

Juliette Freire contou com exclusividade no programa ‘Conversa com Bial’ que foi diagnosticada com aneurisma, mesma doença que matou sua irmã aos 17 anos. A paraibana revelou que recebeu o diagnóstico quando levou sua mãe para fazer exames antes dela realizar uma cirurgia no coração.

-Publicidade-

“Eu já tinha feito outros exames no cérebro e não tinha dado nada, mas a doutora disse: ‘Vamos fazer um check-up’. E eu falei não”, relembrou. “No fundo, tinha medo de fazer de novo porque tinha a sensação de que podia ser. Aí minha mãe fez a cirurgia, ficou super bem. Quando ela saiu do quarto, eu fui fazer meus exames. Passei uma hora dentro da máquina, recebendo contraste na veia, e na minha cabeça: ‘Sei que chegou a hora e vou saber que tenho um aneurisma’. Era uma certeza no meu coração que não sei de onde vinha”, relatou a artista.

A vencedora do BBB contou que preferiu manter em segredo essa informação pois precisava ‘se curar antes de se abrir’. O diagnóstico foi dado em agosto, mesma época em que Juliette lançou seu primeiro trabalho como cantora. “Todo mundo festejando e eu engolindo a dor de saber que tinha o mesmo problema que minha mãe e minha”, revelou, emocionada.

Juliette se emocionou ao falar sobre o aneurisma
Juliette se emocionou ao falar sobre o aneurisma (Foto: Reprodução/TV Globo)

Juliette abriu o coração sobre não querer tratar o aneurisma com medo do que pudesse acontecer, após ter presenciado a morte da irmã e ter visto a mãe também ter um AVC, em 2019. “Não queria tratar, não queria operar, fazer nada. Queria que Deus cumprisse a missão que Ele… Aí eu estava na cama com meus amigos, e eles falando: ‘Vai fazer, Juliette’. Senti algo muito forte. A gente olhou o celular e foi no dia que a Marília Mendonça morreu. Aí todo mundo ficou chorando e disse assim: ‘Vamos fazer isso’. É muito ruim perder alguém assim. Liguei para o médico, preparei tudo”, contou a cantora.

Quando entrou na sala de cirurgia a equipe médica de Juliette tinha certeza do diagnóstico, só precisavam ver mais detalhadamente um meio para tratá-lo. Porém, quando a artista acordou, os médicos revelaram que não tinha aneurisma, mas uma formação atípica na artéria.

“É uma formação atípica, que raríssimas pessoas têm. Ele acredita que foi um caso em um milhão”, explicou. “O médico acredita que fui um caso em um milhão, eu acredito que foi um milagre. Porque a minha vida é isso, eu vivo de milagres, então eu fico com a minha crença e eu estou aqui”, concluiu.