Leticia Colin comenta adaptação após chegada do filho: “Justíssimo não querer transar por um ano”

A atriz é mãe de Uri e falou sobre os desafios de ser mãe e pai de primeira viagem, assim como a importância do apoio psicológico

Resumo da Notícia

  • Leticia Colin respondeu algumas perguntas sobre maternidade
  • Para a atriz, a parentalidade necessita de adaptação, da mãe e do pai
  • Ela é mãe de Uri, que está com quase dois anos de idade

Leticia Colin, mãe de Uri, de 1 ano e 7 meses, respondeu algumas perguntas sobre maternidade e contou sobre essa nova fase da vida e esse período de pandemia. Casada com ator e apresentador Michel Melamed, ela conversou com O Globo.

-Publicidade-
Leticia Colin falou sobre a adaptação da maternidade (Foto: reprodução / Instagram)

Um dos assuntos que a atriz comentou foi justamente sobre o período após o parto. “O nascimento de um filho é desafiador para o casal. Ou muda para melhor ou para pior. No nosso caso, fortaleceu. Depois de a mulher produzir um ser humano, acho que deveria existir uma imunidade de um ano, considero justíssimo não querer transar. Não só a mulher como o homem. Para lidarem com o bebê, ambos precisam se conectar com os bebês que foram no passado. É um resgate. Não importa muito o papel sexual que é desempenhado ali”.

Leticia deu à luz ao filho em 2019 e afirmou: “Ser mãe é sempre difícil, com ou sem pandemia. A maternidade de primeira viagem não tem bússola, por mais que te deem dicas, é totalmente empírica”. Contando com ajuda da mãe, que foi morar com o casal, ela diz que sente privilegiada, mas mesmo assim há preocupação.

Por conta do receio em ter depressão pós-parto, a atriz também marcou uma consulta com o psiquiatra logo que resolveu engravidar. Ela também falou da importância do suporte do marido no processo.

“Pensei: ‘Se ele veio até aqui é porque me ama inteiramente, a gente está casado mesmo’. Venci meu medo, consegui ir em frente e construir minha família”, completou.