‘Lua Azul’: saiba como ver o fenômeno (raro!) que acontece neste final de semana

Apesar do nome, o satélite não deve mudar de cor. Conheça mais sobre o fenômeno

Resumo da Notícia

  • "Lua Azul': saiba como ver o fenômeno (raro!) que acontece neste final de semana
  • Apesar do nome, o satélite não deve mudar de cor
  • Isso acontece ainda mais raramente
  • Veja como observá-la

Alô fãs de astronomia: aqui vai uma super dica de um fenômeno que vai acontecer neste sábado e domingo! Este fim de semana você terá a chance de ver a rara ‘Lua Azul’ pela última vez, até 2024. O fenômeno consiste basicamente na terceira lua cheia em uma temporada de quatro luas cheias, ao invés de três usuais, de acordo com a revista Sky & Telescope. A última vez em que isso aconteceu foi em 31 de outubro de 2020.

-Publicidade-

O fenômeno é muito popular e já serviu de inspiração para músicas, como canções de sucesso “When My Blue Moon Turns to Gold Again” e “Blue Moon” – gravadas por vários artistas, incluindo Elvis Presley – arte, e linguagem. Se você já assistiu ao desenho ‘Smurfs‘, com certeza já ouviu falar dela também!

‘Lua Azul’: saiba como ver o fenômeno (raro!) que acontece neste final de semana (Foto: Getty Images)

Vale ressaltar que, apesar do nome, a Lua continuará com sua cor normal! A mudança na cor acontece ainda mais raramente, quando “erupções vulcânicas ou incêndios florestais enviam muita fumaça e poeira fina para a atmosfera”, como apontado pela Sky & Telescope.

A nomeação, aliás, nem sempre foi essa. A  mudança da definição da lua azul cheia ocorreu em 1946, quando “o astrônomo amador e colaborador frequente do ‘Sky & Telescope’ James Hugh Pruett (1886–1955) interpretou de forma errada a descrição da revista”. Foi assim que surgiu a definição popular da “Blue Moon” associada à segunda lua cheia de um mesmo mês.

Conforme informado pela Nasa, residentes das Américas poderão ver uma lua quase cheia no sábado, 20 de agosto. A Lua Azul verdadeira, no entanto, alcança ponto mais alto no céu no início da madrugada de domingo, à 1h04, horário do leste dos EUA (aproximadamente 23h, no horário de Brasília). O astro atingirá o pico de iluminação às 8h02, horário do leste dos EUA (aproximadamente 6h da manhã, no horário de Brasília), no domingo, 22 de agosto, e aparecerá quase cheia após o anoitecer naquele dia.