Lucas Veloso comenta semelhança da filha com Shaolin: “Deus fez para a gente matar a saudade dele”

O ator é filho do comediante, que morreu em 2016, e pai de primeira viagem de Lua, de dois meses, fruto do relacionamento com a noiva Gessica Muniz

Resumo da Notícia

  • Lucas Veloso, de 25 anos, revelou ser um pai muito emocionado e curioso com as descobertas da filha, Lua, de dois meses, com Gessica Muniz.
  • O ator percebeu que a menina é parecida com avô dele, o comediante Shaolin, morto em 2016, e o pai.
  • Ele contou como foram os primeiros dois meses dela.

Lucas Veloso, de 25 anos, vive as alegrias da paternidade com a primeira filha, Lua, de dois meses, fruto do relacionamento com Gessica Muniz. O ator tem ficado emotivo com o crescimento da menina, a cada gesto e diz querer ser pai novamente em entrevista a coluna da Patrícia Kogut, do jornal O Globo. Ele acha a menina muito parecida com o avô. Será?

-Publicidade-
Lucas tem aprendido que a paternidade é algo ligado ao instinto. (Foto: Reprodução/ Instagram/ @lucasveloso_)

“Não recebi uma nova instrução para ser pai, vai no instinto. Parece que a gente tem um fusível que só liga quando o bebê nasce. Por mim, já tinha outro no ano que vem de tão maravilhado que estou”, disse o ator.

A menina se chama Lua por causa que a barriga de Gessica foi desaparecendo quando a filha nasceu. “Fiquei ali olhando aquela coisinha, muito miudinha, precisando de mim. Demora um tempo para entender: ‘Agora eu sou pai’. E dá um medo absurdo. Um amigo me disse que o aposto do amor não é o ódio, é o medo. E é isso que faz pai e mãe vencer qualquer coisa. Por mais que eles tenham receio da falha, eles têm coragem para aprender o que for preciso para encarar o medo”, afirmou o pai.

Ele tem a observado tanto que começou a perceber as semelhanças das feições dela com a família, como a comparação entre Lua e o avô, o comediante Shaolin, morto em 2016.

“Uma das primeira coisas que eu pensei quando eu voltei para o chão depois do nascimento foi isso. Olhei para o rostinho dela e ela tinha as expressões do meu pai. Parecia até mais filha dele do que minha. As posições para dormir, o jeito que mexe os bracinhos, é tudo parecido. É surreal. Parece que Deus fez um carinho na família para a gente matar a saudade dele. Vou esperar ela crescer para contar quanto ela o lembra e o quão importante ele foi aqui na Terra. E dizer que ele está com ela o tempo todo”, relembrou ele.

Outra novidade do ator, o casamento com Gessica Muniz e no profissional, em setembro, vai lançar nos cinemas o filme infantil da “Patrulha canina”, com a dublagem dele no personagem Butch.

Lucas comparou em rede social a filha com o avô, o comediante Shaolin, morto em 2016.(Foto: Reprodução/ Instagram/ @lucasveloso_)

Os primeiros meses

Lucas contou que no primeiro mês a menina crescia rápido: “Eu costumava pegá-la de madrugada e, ao encontrá-la, pareia que era outro bebê”. Durante o início da paternidade, conta ter ganhado um super poder capaz de vencer o cansaço.

“Eu costumava pegá-la de madrugada e, ao encontrá-la, pareia que era outro bebê. A impressão era de que alguém vinha escondido e trocava. O primeiro mês é intenso. A criança ainda está entendendo que o mundo é mundo, que tem um espaço para viver, acorda muito… Se bem que a Lua foi mais tranquila. Realmente só acordava se fosse para comer ou porque estava com dor. E a gente ganha uma força que nem sabia que existia. É um cansaço exaustivo, mas bom. Dá um prazer acordar no meio da noite e ver aquela coisinha. Depois que ela mama, ela sorri até dormir. Isso paga qualquer cansaço”, contou o ator.

No segundo mês, ele precisou viajar e viu a noiva com a filha na vídeo chamada, se derretendo todo de emoção do outro lado da tela ao ver a menina interagindo.

“Fiz uma viagem longa recentemente. A Gessica me ligou por vídeo e a Lua achou o celular com o olhar. Me derreti todo. Eu não imaginava que a gente fosse mudar tanto. Eu sempre fui mole, emotivo, mas a sensação de tatear coisas que não são explicáveis pelo ser humano que dá quando a gente é pai é muito única. Me sinto muito perto de Deus. E ao mesmo tempo que eu protejo tudo isso eu também sou frágil”, relembrou ele.