Lúpus: o que é, sintomas, quais são as causas e tratamento

Também conhecida como Lúpus Eritematoso Sistêmico, essa é uma doença autoimune, inflamatória e crônica. Ainda não se sabe a causa dela, mas é possível cuidar e viver bem com ela seguindo os tratamentos indicados

Resumo da Notícia

  • Lúpus é uma doença inflamatória, autoimune e crônica também chamada de Lúpus Eritematoso Sistêmico
  • Ele possui diferentes níveis de gravidade, atinge vários órgãos e pode se manifestar de várias maneiras diferentes
  • Não existe cura para o lúpus, mas é possível conviver bem com a doença fazendo o tratamento correto

Lúpus é uma doença inflamatória, autoimune e crônica. Também chamada de Lúpus Eritematoso Sistêmico, ele possui diferentes níveis de gravidade, atinge vários órgãos e é caracterizado por períodos em que está ativo e outros em que se encontra mais atenuado.

-Publicidade-

A causa do lúpus ainda é desconhecida, mas o que os especialistas sabem é que fatores genéticos e ambientais podem colaborar para o surgimento da condição. Por ser autoimune, ou seja, por ser decorrente de um desequilíbrio do sistema imunológico com a produção de autoanticorpos, o lúpus não é contagioso. Não existe cura para ele, mas é possível controlá-lo e viver bem com a doença seguindo o tratamento correto, indicado pelo reumatologista.

Sintomas

O lúpus pode afetar vários lugares do corpo e cada um tem uma manifestação clínica diferente. Todos os sintomas acontecem por causa de reações inflamatórias que acometem vários órgãos simultaneamente ou em sequência, um após o outro. Inicialmente, as manifestações são:

  • Fadiga
  • Febre baixa
  • Emagrecimento
  • Perda de apetite

Conforme a doença vai avançando no organismo, os sintomas mudam e os pacientes com lúpus passam a apresentar:

  • Queda de cabelo
  • Dor nas articulações
  • Lesões na pele
  • Lesões na mucosa (úlceras orais, semelhantes às aftas)
  • Inflamação nos rins, cérebro, coração, nervos, vasos e pulmões

Além disso, o lúpus pode ser localizado, também conhecido como Lúpus Cutâneo, e caracteriza-se por manchas avermelhadas na pele, principalmente em áreas que ficam expostas ao sol: face, orelhas, couro cabeludo, colo e braços. Veja outras doenças que causam manchas vermelhas na pele.

Um dos sintomas do lúpus são manchas vermelhas em forma de borboleta na face (Foto: Shutterstock)

Tipos de lúpus

  • Lúpus Eritematoso Sistêmico
  • Lúpus Cutâneo (localizado)

O que desencadeia o lúpus?

Apesar de sua causa ainda ser desconhecida, fatores genéticos, hormonais, ambientais e imunológicos fazem parte do desenvolvimento do lúpus no organismo. Especialistas acreditam que as pessoas que nascem com predisposição de ter essa doença passam a manifestar os primeiros sintomas após interagir com algo que funciona como gatilho, como irradiação solar, infecção viral ou ação de outros microorganismos.

O que o lúpus causa no corpo?

  • Lesões de pele em formato de borboleta na face, que não deixam cicatriz
  • Lesões discoides, intensas e profundas que deixam cicatriz
  • Inflamação de pequenos vasos (vasculite)
  • Fotossensibilidade
  • Fenômeno de Raynaud (coloração pálida e/ou arroxeada nas extremidades quando expostas ao frio)
  • Alopecia
  • Inflamação nas juntas (artrite)
  • Inflamação na pleura, membrana que recobre o pulmão (pleurite)
  • Inflamação nas membranas que recobrem o coração (pericardite)

Cerca de 50% dos pacientes que têm lúpus apresentam acometimento renal. Além disso, pessoas com essa doença podem apresentar hipertensão arterial sistêmica, urina com espuma e inchaço nas pernas. Não é comum, mas é possível que haja algum tipo de comprometimento neurológico – desde dor de cabeça até acidente vascular cerebral (AVC).

Como é feito o diagnóstico de lúpus?

Após o início dos sintomas de lúpus, o primeiro exame a ser feito é o FAN (fator antinuclear): ele mostra que o paciente produz anticorpos contra seus próprios tecidos e células. Se positivo, o reumatologista passa a investigar outros autoanticorpos específicos, além de avaliar rim, pulmão e coração do paciente.

Quem pode ter lúpus?

A maior parte dos pacientes com lúpus são mulheres entre 20 e 45 anos, com a proporção de 10 mulheres para 1 homem. A doença também pode afetar crianças e idosos, mas mantendo a frequência no sexo feminino.

Quando procurar um médico

Caso uma pessoa apresente os sintomas da doença e suas atuações no corpo, como lesões na pele, febre, dor nas juntas, emagrecimento, urina com espuma, fraqueza e emagrecimento, é necessário procurar um médico. No caso do lúpus, o especialista que trata essa enfermidade é o reumatologista.

É possível conviver bem com o lúpus seguindo o tratamento correto para a doença (Foto: Freepik)

Tratamento para lúpus

O tratamento depende do tipo de lúpus que o paciente manifestar. É preciso tomar medicamentos que regulem as alterações imunológicas causadas pela doença, como antimaláricos, corticosteroides, imunossupressores sintéticos e imunossupressores biológicos. Além disso, os pacientes devem:

Se não tratado, quais são as consequências para a saúde?

O lúpus é uma doença que compromete vários órgãos e causa muitos danos. Por isso, é extremamente importante diagnosticar a doença o mais precocemente possível. Se o acometimento nos rins não for tratado, por exemplo, é possível que os pacientes tenham insuficiência renal e precisem passar por diálise ou até mesmo transplante.

Mulheres com lúpus podem ter filhos?

Sim. É possível engravidar mesmo com lúpus, mas é necessário um planejamento já que a gestação é considerada de alto risco pela possibilidade de apresentar complicações tanto para a mãe como para o bebê. O indicado é que a lúpica engravide quando a doença estiver fora de atividade por, pelo menos, 6 meses. Como é necessário pausar o uso de algumas medicações, é preciso conversar com o reumatologista antes de ter filho para programar o melhor momento.

Fonte: dra. Nafice Araujo, vice-presidente da Sociedade Paulista de Reumatologia e membro da Comissão de Lúpus da Sociedade Brasileira de Reumatologia, mãe de Sarah e Maria Clara