Mãe com dois úteros tem gravidez rara e gera trigêmeos em órgãos diferentes

O caso de Melanie Basset é considerado o primeiro do Reino Unido e o quarto do mundo inteiro. Os gêmeos idênticos foram gerados dentro de um útero, enquanto o terceiro bebê se desenvolveu no segundo órgão

Resumo da Notícia

  • Uma mãe deu à luz trigêmeos gerados em dois úteros
  • O caso de Melanie é o primeiro do Reino Unido e o quarto do mundo
  • Ela já era mãe de duas crianças quando engravidou

Uma moradora de Hampshire, no Reino Unido, teve a maior surpresa da vida dela ao saber uma nova gestação. Melanie Basset, mãe de duas crianças, ficou grávida de novo e, ao ir se consultar com um médico, descobriu que estava esperando não apenas por um bebê, mas por três – e que, ainda por cima, ela tinha dois úteros.

-Publicidade-
(Foto: Reprodução DAILY MAIL)

A gravidez de Melnaie não era tão simples quanto se esperava. De acordo com o médico, dois bebês estavam sendo gerados em um útero, enquanto o terceiro bebê estava se desenvolvendo no segundo órgão. Segundo o Daily Mail, a mãe já sabia que ela tinha dois órgãos reprodutores desde quando engravidou de Phoebe, sua primeira filha, que hoje tem 3 anos.

Após dois anos da primeira gravidez, Melanie gerou Blake, seu primeiro menino. Mas foi durante a terceira gestação que ela se surpreendeu com a condição. Brooke, Isabel e Beau completam um ano de vida em janeiro, mas os pais decidiram contar a história dos filhos somente agora.

(Foto: Reprodução DAILY MAIL)

A revista Life explicou que esse tipo de gestação é muito rara de acontecer: a taxa é de um em um milhão. Até hoje, só existem quatro casos de uma gestação de bebês em úteros diferentes no mundo inteiro, e a gestação de Melanie é um marco para o Reino Unido, já que a família dela é a primeira ter uma gravidez assim no país.

Além de muito rara, a gravidez de Melanie era considerada de risco. Para evitar que alguma complicação acontecesse com os bebês, ela precisou fazer exames todas as semanas. Os médicos tinham receio que os gêmeos que dividiam o mesmo útero sofressem com a Síndrome de Transfusão Feto-Fetal, que faz com que uma das crianças receba mais nutrientes e oxigênio que a outra. Essa condição afeta 15% das gestações de gêmeos que dividem placenta e saco gestacional.

Melanie também contou outro detalhe que torna o caso dela ainda mais específico: “Um ginecologista fez um exame de espéculo e descobriu que eu tenho dois colo de útero lado a lado, o que nunca tinha sido detectado antes”, disse a mãe de cinco.

(Foto: Reprodução DAILY MAIL)