Mãe com mais de 200 tumores na pele diz que filha com mesma condição levantou autoestima dela

Jamila Gordon e a filha, Tatyana, possuem neurofibromatose – uma doença que causa uma série de pequenos tumores por todo o corpo

Resumo da Notícia

  • Jamila e Tatyana possuem neurofibromatose, uma doença que causa uma série de pequenos tumores por todo o rosto e corpo
  • Mãe e filha possuem a mesma condição, e cuidam da autoestima uma da outra
  • Segundo Jamila, o jeito que a filha, aos 8 anos, não liga para a opinião dos outros com relação a própria aparência ajudou diretamente a autoestima da mãe

Jamila Gordon e a filha, Tatyana, possuem uma doença rara chamada neurofibromatose, que causa uma série de tumores no rosto e no corpo. Jamila, com 33 anos, recebeu o diagnóstico quando ainda era criança – e desde então sofre muito para construir uma autoconfiança sobre o próprio corpo.

-Publicidade-
Jamila foi diagnosticada quando era criança e sempre sofreu com problemas de autoestima (Foto: Reprodução/ DailyMail)

Para o portal Daily Mail, a mãe contou que essa é uma condição muito incômoda. “Os tumores doem demais e coçam muito. Eles estão sobre todo meu corpo, e na parte de cima e de baixo do meu pé. Dói muito para andar. Nunca parei para contar, mas diria que são mais de 200”, desabafou. “Afetou diretamente a minha autoconfiança, e demorou muito para que eu me acostumasse com a minha aparência. Ainda fico muito ansiosa quando as pessoas ficam me encarando na rua”.

Jamila recebeu o diagnóstico quando ainda era um bebê. Ela disse que já realizou algumas cirurgia para as retiradas dos tumores – e que, mesmo assim, eles nascem novamente. A infância da mulher foi marcada por traumas e situações de desconforto e exclusão. “Quando eu era menor, tiravam sarro de mim na escola e eu não queria ir. Por isso, tive dificuldades de aprendizagem”, contou.

Tatyana, com 8 anos, foi diagnosticada com a mesma condição quando nasceu, que é genética. A mãe da menina, reconhecendo o próprio passado, conta que fica muito preocupada com o futuro da filha. Contudo, a menina é uma verdadeira lição de autoaceitação – e Jamila conta que o jeito que a filha “não liga para o que os outros pensam” ajudou ela, aos 33 anos, a recuperar a própria autoconfiança.

Tatyana não liga para o que os outros dizem (Foto: Reprodução/ DailyMail)

“Ela começou a perceber que as pessoas nos encaram, mas ela realmente não se importa com o que dizem”, contou Jamila, “Todos os dias eu acordo de manhã e tento ser a melhor mãe e mulher que posso, por causa da minha filha que me ama do jeito que sou”, desabafou ainda.

Tatyana ainda é criança e, por causa disso, seus tumores ainda não são tão desenvolvidos quanto os de sua mãe. “Os médicos dizem que quando ela atingir a puberdade, eles tendem a ficar maiores”, contou, “Me preocupo com o futuro dela. Mas Tatyana foi uma das responsáveis pela recuperação da minha autoconfiança”, finalizou Jamila.