Mãe com nanismo faz relato e conta como foi dar à luz filho com o mesmo diagnóstico

No depoimento, ela fala um pouco sobre as dores do parto e da gravidez, além de compartilhar os medos e anseios como mãe

Resumo da Notícia

  • Mãe com nanismo dá à luz filho com o mesmo diagnóstico
  • Em um relato, ela conta como foi descobrir a notícia
  • Ela também falou um pouco sobre as dores do parto e preocupações
  • Veja o que ela falou

Como alguém que nasceu com acondroplasia – uma mutação genética que afeta o crescimento ósseo e é mais conhecida como nanismo -, a mãe Caylea Woodbury sabia que os filhos também poderiam ser diagnosticados com a doença. Depois de descobrir que o segundo filho, Hendrix, nasceria com condição, Caylea e o parceiro, D’Quan Cage, compartilharam com sinceridade a experiência na série do Facebook Watch 9 Months With Courteney Cox.

-Publicidade-
Ela tem dois filhos (Foto: reprodução PopSugar / Pinterest)

“Fiquei feliz e triste quando soube do diagnóstico de Hendrix”, disse Caylea ao portal estadunidense POPSUGAR. “Eu estava com medo do que ele iria experimentar neste mundo. Não sei com o que ele vai lidar. As pessoas são tão cruéis. Há tantas coisinhas diferentes com que se preocupar. Só não quero que ele tenha experiências negativas simplesmente por ser ele mesmo “.

O casal já tinha um filho, que não nasceu com a doença, mas já sabia das possibilidades. “Na segunda gestação, eu estava sempre sentindo dores“, contou a mãe.  “Minhas pernas começaram a dor muito e ele ficava posicionado de uma maneira estranha. Não havia espaço para ele, pra ser honesta.  A gravidez estava pesando nas minhas costas. Eu não estava acostumada a todo esse peso extra porque ganhei mais peso desta vez. Foi cansativo. Estava muito cansada e com dores “.

-Publicidade-

Caylea deu à luz Hendrix em 3 de fevereiro, quando ela tinha 36 semanas, por meio de uma cesariana. A mãe, no entanto, queria muito o parto natural e só aceitou a cirurgia depois de algumas tentativas. “Tentamos três vezes. Simplesmente não estava dando certo”, explicou. “Eventualmente, eles me deram uma pancada nas costas. Todo o meu rosto e meu peito ficaram dormentes. Eu não conseguia respirar. Honestamente, eu pensei que estava morrendo. E comecei a arfar. Foi a experiência mais assustadora de toda a minha vida”.

Depois de um tempo, Caylea foi liberada do hospital e, apesar das dificuldades, logo ficou impressionada com as conquistas do filho. “Ele está superando todas as probabilidades”, ela compartilhou. “Os médicos me disseram que os bebês com nanismo podem ter um atraso e que Hendrix não seria capaz de fazer certas coisas tão rapidamente quanto o meu mais velho, mas isso não aconteceu. Hendrix já está rolando. Ele quer se sentar. Ele está pegando coisas. Ele está segurando o pescoço bem!”, comemorou.

“Quero que ele viva sua vida ao máximo. Não quero que ele pense duas vezes antes de fazer alguma coisa. Farei o meu melhor para ensiná-lo a ser super confiante, para que ele não precise se preocupar com nada”, explicou Caylea. “Estou feliz porque agora posso ter esse vínculo com ele. Eu só desejo o que qualquer outro pai quer – que Hendrix experimente felicidade, alegria e amor. Quero que ele viva sua vida ao máximo”, finalizou.

-Publicidade-