Mãe confessa ter matado filha de 11 anos após ela começar a ter vida “sexualmente ativa”

A criança foi encontrada morta debaixo da cama, durante a madrugada de 14 de abril. No entanto, na manhã deste sábado, 16 de abril, a mãe confessou o crime contra a própria filha

Resumo da Notícia

  • A menina foi encontrada morta debaixo da cama
  • A mãe confessou que matou a própria filha
  • O crime aconteceu após a mãe descobrir que a menina era "sexualmente ativa"
  • No momento, não há informações sobre qualquer abuso sexual cometido contra a menina.

Após a menina ser encontrada morta durante a madrugada desta quarta-feira, 14 de abril, em Timbó, no Vale do Itajaí – o padrasto e a mãe da criança foram encaminhados à delegacia. De acordo com o g1, o motivo da morte da garota finalmente foi revelado na manhã deste sábado, 16 de abril. Segundo a Polícia Civil, a mãe da vítima disse que matou a própria filha com socos e chutes, após descobrir que ela já era “sexualmente ativa”.

-Publicidade-

A delegacia que cuida do caso informou que, pelos depoimentos da matriarca, ela matou a menina em forma de punição. Na queixa policial, o padrasto permaneceu em silêncio durante o interrogatório.

A menina de 11 anos foi morta pela própria mãe
A menina de 11 anos foi morta pela própria mãe (Foto: Reprodução/Getty Images)

De início imediato, o casal disse que a menina caiu de uma escada após tentar salvar um gato. Além disso, os suspeitos disseram que a criança estava consciente e prosseguiu realizando suas atividades normalmente até a hora de dormir. No entanto, à meia-noite, começou a passar mal. Sendo assim, decidiram pedir ajuda médica.

Mas, o laudo da necropsia apontou que os ferimentos no corpo da criança eram inviáveis de terem sidos provocados apenas por uma queda. A garota tinha lesões internas no crânio, baço, pulmão, intestino e uma laceração na vagina.

“Ambos foram esclarecidos das contradições entre a versão apresentada e as provas reunidas”, concluiu a Polícia Civil em nota à imprensa. O caso permanece em investigação judicial. No momento, não há informações sobre qualquer abuso sexual cometido contra a menina.

Relembre o caso

Em 14 de abril, uma menina de penas 11 anos foi encontrada morta com graves sinais de violência. O caso aconteceu no Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Segundo o g1, a Polícia Civil encaminhou a mãe e o padrasto da vítima para uma delegacia em Indaial. Ambos foram liberados após prestarem esclarecimento.

Em seguida da morte da criança, a Polícia Militar foi acionada pelo  Hospital Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas, que fica localizado pela cidade onde aconteceu a tragédia.

No momento, a polícia ainda não deu detalhes sobre os ferimentos que foram encontrados na criança e demais informações sobre o crime. A delegacia que cuida do caso abriu um inquérito para investigar a morte da garota.

Em nota à imprensa, a PM disse que o padrasto da vítima, homem de 41 anos, negou qualquer crime cometido. “A Polícia Científica – Instituto Geral de Perícias – foi acionada para elaboração das perícias sobre a natureza das lesões e causas da morte, bem como para análise do local do fato. Os depoimentos das testemunhas também foram colhidos”.