Mãe conhece filha dois meses após ser internada em estado grave com Covid-19

Ela foi diagnosticada com Covid, e o parto da bebê, que não foi contaminada, precisou ser antecipado

Resumo da Notícia

  • Maria do Céu, de 36 anos, precisou dar à luz quando ainda estava gestante aos 8 meses da primeira filha;
  • Ela foi diagnosticada com Covid, e o parto da bebê, que não foi contaminada, precisou ser antecipado;
  • Entretanto, a mãe só pôde conhecer a filha dois meses depois.

Maria do Céu, de 36 anos, precisou dar à luz quando ainda estava gestante aos 8 meses da primeira filha. Ela foi diagnosticada com Covid, e o parto da bebê, que não foi contaminada, precisou ser antecipado. Entretanto, a mãe só pôde conhecer a filha dois meses depois.

-Publicidade-

Isso porque Maria foi internada logo após o parto e precisou utilizar um pulmão artificial, conhecido como ECMO. Foram 30 dias com a ECMO e aproximadamente 60 dias, ao todo, de internação na UTI. Após todo esse tempo, a mãe pode receber a tão esperada visita do filho.

Mãe conhece a filha dois meses após o parto (Foto: Reprodução / Instagram)

A visita foi acompanhada pelo marido de Maria e por outros familiares, que também puderam comemorar a alta da mulher. A equipe médica preparou até uma festa com bolos e balões. No entanto, o médico responsável pelo caso disse que a recuperação foi lenta.

“A gente vinha buscando o despertar dela, foi um despertar bem difícil. Quando ela despertou, a gente perguntou à família e buscou trazer coisas que ela gostava. Então, fizemos isso através de música, contando histórias, pra que ela se mantivesse acordada e esperançosa”.

Mãe conhece a filha dois meses após o parto (Foto: Reprodução / Instagram)

Maria do Céu se tornou a primeira paciente a se recuperar do tratamento com ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea) no Rio Grande do Norte durante a pandemia da Covid-19 e ainda deve realizar uma série de tratamentos em casa para ter a recuperação completa.