Mãe conta para filha de 2 anos que Papai Noel não existe pelo melhor motivo

Charlotte adora o Natal e decidiu, muito antes de engravidar, que sua filha apreciaria a data pelo verdadeiro motivo – e não porque o Papai Noel passaria para entregar presentes

Resumo da Notícia

  • Uma mãe decidiu contar para a filha de 2 anos que Papai Noel não existe
  • Os motivos de Charlotte são muito compreensíveis
  • Charlotte disse que não quer que a filha se sinta excluída no Natal

Uma pesquisa feita pela Universidade de Exeter concluiu que crianças param de acreditar no Papai Noel por volta dos 8 anos – mas a britânica Charlotte decidiu que o momento de sua filha saber a verdade sobre o Bom Velhinho era bem antes disso, aos dois anos de idade.

-Publicidade-

O motivo? Longe de ser porque ela não gosta do Natal! Charlotte adora as festas de final de ano, mas entendeu que para a filha apreciar de verdade a magia do Natal, era importante que ela soubesse desde o início qual é o propósito da celebração. Ou seja: para ela, era melhor que a filha encontrasse a alegria da data em outras coisas que não os presentes  dados pelo Papai Noel.

(Foto: Getty Images)

Charlotte contou que não tem boas lembranças do Natal quando era criança justamente pela expectativa de que o Bom Velhinho viria entregar presentes. “Nunca recebi o que as outras crianças ganhavam e isso me fez acreditar que o Papai Noel tinha esquecido de mim”, começou. “Não quero que minha filha acredite nisso. Quero ser capaz de ter um relacionamento aberto e honesto com ela”.

A mãe tomou essa decisão muito antes de ter uma filha – Charlotte sempre disse que, quando engravidasse, contaria a verdade para a criança. Isso não significa que a menina vai ficar de mãos vazias no Natal. “Ela terá presentes como todo mundo, mas saberá que fomos nós que compramos para ela. Assim, ela também vai entender que trabalhamos muito para comprá-los e terá mais gratidão por eles do que se um homem estranho tivesse dado para ela”, explicou.

Charlotte nunca incentivou que a filha acreditasse em personagens que dão presentes, como a Fada do Dente, Papai Noel ou Coelho da Páscoa. Apesar de ter certeza de que essa é a melhor maneira de educar a filha dela – afinal, não existe jeito certo e sim o que você escolhe – Charlotte ainda permite que a menina participe das atividades que envolvam esses temas na escolas com os amigos. “Tenho medo que ela se sinta excluída no futuro por causa disso. Ao mesmo tempo, acho que vai ser emocionante para ela crescer sabendo de um segredo que outras crianças não sabem”, concluiu.