Mãe conta que irmãos perdidos em Floresta Amazônica sobreviveram graças à fruta da região

Glauco e Cleisson Ferreira, de 7 e 9 anos ficaram desaparecidos por 27 dias em Manicoré a 390 quilômetros de Manaus

Resumo da Notícia

  • Dois meninos sobreviveram por 27 dias na Floresta Amazônica
  • Glauco e Cleisson Ferreira, de 7 e 9 anos se alimentaram apenas de uma fruta típica da região
  • Segundo a mãe a fruta se chama 'sorva' e manteve as crianças vivas durante o desaparecimento

Dois meninos ficaram perdidos por 27 dias na Floresta Amazônica em Manicoré, a 390 quilômetros de Manaus. Glauco e Cleisson Ferreira, de 7 e 9 anos, se alimentaram apenas de uma fruta típica da região chamada sorva, contou a mãe ao portal do G1.

-Publicidade-

“Eu perguntei ‘meu filho vocês não comeram nada?’ Ele me disse: ‘a gente comeu sorva, mãe’. Os meninos sempre comiam sorva porque meu filho mais velho pegava quando ia caçar e sempre que via trazia uma saca pra eles. Então eram acostumados com a sorva”, disse a mulher.

Crianças de 6 e 8 anos ficam mais de 20 dias perdidas na Floresta Amazônica se alimentando apenas com água da chuva
As crianças de 7 e 9 anos ficaram mais de 20 dias perdidas na Floresta Amazônica se alimentando apenas com água da chuva e sorva (Foto: Reprodução / Jornal Hoje)

Januário Carneiro da Cunha Neto, coordenador distrital do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), explicou ainda que as crianças foram encontradas entre a comunidade Nossa Senhora de Fátima e a comunidade Palmeira, onde moram. A distância percorrida pelos meninos foi de cerca de 35 quilômetros. A região é de difícil acesso.

As crianças foram localizadas na terça-feira (15), apresentando um quadro grave de desnutrição e escoriações na pele. “Quando o menor não conseguiu mais andar eles ficaram lá perto e bebiam a água desse igarapé e da chuva”. Segundo o pediatra Eugênio Tavares, responsável pelo acompanhamento das crianças em Manaus, os garotos fizeram coleta para exames e transição da alimentação.