Mãe de 44 anos dá à luz trigêmeas após sofrer 4 abortos espontâneos

Leonie Fitzgerald comemorou a chegada de Liliana, Isabella e Charlotte em agosto de 2020 depois de passar quase seis anos tentando engravidar e quatro perdas gestacionais

Resumo da Notícia

  • Peter e Leonie Fitzgerald finalmente conseguiram ter filhos
  • O casal passou por quatro perdas gestacionais
  • As trigêmeas chegaram em agosto de 2020

Um casal australiano comemorou a virada de 2020 para 2021 da melhor forma possível: com as três filhas bebês nos braços. A felicidade dos dois, triplicada depois da chegada das meninas, é mais do que merecida: Peter, de 51 anos, e Leonie Fitzgerald, de 44, passaram por quatro abortos espontâneos até conseguirem engravidar.

-Publicidade-

Peter e Leonie moram em Brisbane, na Austrália, e deram as boas-vindas às trigêmeas em agosto de 2020. Em entrevista ao Daily Mail, o casal contou que gastou mais de US$19 mil – equivalente a R$100 mil – em fertilização in vitro para conseguir ter as meninas. Após as perdas gestacionais, o casal decidiu em janeiro de 2020 tentar engravidar mais uma vez – foi quando deu tudo certo!

(Foto: Reprodução Daily Mail)

Liliana, Isabella e Charlotte vieram ao mundo em 23 de agosto, todas saudáveis. “Passamos quase seis anos tentando ter um bebê e isso foi devastador, para dizer o mínimo”, contou Leonie. Após muitas tentativas, ela conseguiu engravidar de forma natural aos 41 anos, mas perdeu a gestação quando completou 13 semanas.

-Publicidade-

“Decidimos que a fertilização in vitro era nossa solução e nos enchemos de fé novamente”. Mas, após o procedimento, ela teve mais uma perda gestacional, seguida de outras duas – todas de concepções naturais. “O sonho de nos tornarmos pais estava se esvaindo”, desabafou.

(Foto: Reprodução Daily Mail)

Peter e Leonie não consideravam a adoção porque achavam que estariam velhos demais para serem pais, já que a fila de espera era de cinco anos. Foi então que conseguiram engravidar após a terceira fertilização in vitro, que gerou as trigêmeas. “Passei a semana inteira andando como um zumbi porque estava em choque total”, contou.

O parto de Leonie, que aconteceu na 32 segunda semana de gestação, teve algumas complicações, mas logo depois ela e as meninas puderam voltar para casa. O início foi difícil para adaptar a rotina – nada que em pouco tempo o casal não tenha conseguido.

-Publicidade-