Mãe de 6 filhos engravida novamente aos 51 anos mesmo após realizar duas laqueaduras

Uma avó de 51 anos está se preparando para dar à luz depois de gastar mais de R$147 mil em fertilização in vitro, Kimberly Chasteen, mãe de seis filhos, teve suas trompas amarradas duas vezes antes de mudar de ideia

Resumo da Notícia

  • Kimberly Chasteen de 51 anos é mãe de 6 filhos
  • A mãe realizou duas laqueaduras antes
  • Agora Kimberly está esperando mais um filho graças a fertilização in vitro

Aos 51 anos, Kimberly Chasteen está prestes a dar à luz 35 anos depois de ter tido sua primeira filha, Jessica, depois de gastar £23.000 (R$147 mil) em fertilização in vitro. Ela já fez laqueadura duas vezes – mas está muito feliz por agora dar as boas-vindas ao seu sétimo filho em sua família.

-Publicidade-

Kimberly disse ao jornal The Mirror: “No começo [minha família] era contra porque eu era mais velha e as chances de defeitos congênitos eram maiores. Mas uma vez que eu decidi que estava indo doar meus óvulos, e eles sabiam que eu iria continuar com isso de qualquer maneira, eles me apoiaram mais”. Sua filha mais velha, Jessica, deu à luz recentemente – com o casal se apoiando durante a gravidez.

A enfermeira assistente, de St. Louis, Missouri, já criou três filhos: Jessica, 35, a filha Kayla, 33, e Richard, 31, antes de sofrer um processo tubário. No entanto, Kimberley mudou de ideia depois de se casar novamente e deu as boas-vindas a outro trio de filhos; Blake, 20, Briar, 19, e Balin, 17.

A mãe de seis filhos então decidiu que estava pronta, fazendo laqueadura pela segunda vez. Mas depois de se divorciar e conhecer um novo parceiro mais jovem, Kimberly reverteu a operação três anos atrás novamente. Os médicos a avisaram que os danos no tecido cicatricial de seu último litígio tubário e a má qualidade dos óvulos significava que suas chances de ter outro bebê seriam improváveis.

A mulher engravidou aos 51 anos
A mulher engravidou aos 51 anos (Foto: Reprodução/TikTok)

Determinada, Kimberly passou por fertilização in vitro com um óvulo doado a um custo de £23.000 ((R$147 mi) e descobriu que estava grávida quando Jessica estava com oito semanas. Kayla, que documentou a gravidez de sua mãe no TikTok, disse ao The Mirror: “Quando nossa mãe decidiu desamarrar as trompas pela segunda vez, ela foi embora no fim de semana.”

“Quando perguntamos para onde ela estava indo, ela era muito reservada, ela não nos contou e só descobrimos depois onde ela estava. Quando ela nos disse que queria tentar outro bebê, não apoiamos muito no início. Não apoiamos seu relacionamento com o homem mais jovem porque era tóxico. Quando ela finalmente descobriu que estava grávida, estava namorando outro homem. Eu diria que não acreditei muito que ela estava grávida quando nos contou.”

“Houve algumas vezes durante sua jornada de fertilização in vitro que ela pensou que estava grávida, com sintomas como náuseas e desejos. Eu não acreditei até ver o teste de gravidez positivo. Fiquei em choque.” Felizmente, Kimberly disse que teve uma gravidez “fabulosa”, sem problemas de saúde até a marca de 32 semanas, quando começou a ter sangramentos.

Ela acrescentou: “Foi muito emocionante estar grávida da minha filha o tempo todo. Nós nos apoiamos. Ambos tendo meninos foi ainda melhor”. Kimberly, cujo filho deve nascer em 5 de maio, aconselha outras pessoas que estão considerando a rota de doação para “fazer sua lição de casa”.

O bebê já nasceu, pesando 2,1 kg
O bebê já nasceu, pesando 2,1 kg (Foto: Reprodução/TikTok)

Ela disse: “Pesquise o máximo de informações que puder, pois pode levar um processo muito longo como foi para mim. Com meu primeiro doador de escolha, consegui um embrião e você deveria receber pelo menos seis nesse preço. Tive a sorte de poder escolher outro candidato no portal de doadores que me deu seis grandes embriões.”

“Fiz minha lição de casa e sabia que ela teve oito gestações positivas em todo o mundo para outras mulheres passando pelo mesmo processo”. Imagens mostrando Kimberley no hospital às 32 semanas, atraíram uma gama mista de comentários, com a mãe ‘magoada’ pelas críticas de sua idade. Quanto a Kayla, ela pode “ver os dois lados”, acrescentando: “Minha mãe é uma mulher adulta que pode fazer suas próprias escolhas. No entanto, a maternidade me esgota nos meus 30 anos, então não poderia imaginar perseguir uma criança nos meus 50 anos.”

“No final do dia, é sua decisão e sua vida. É definitivamente estranho ter um irmão nos meus 30 anos. Eu me preocupo com minha mãe se ela será capaz de acompanhar um recém-nascido ou uma criança pequena. No entanto, meus irmãos e eu temos um vínculo extremamente forte e tenho certeza que esse carinha não será diferente”.