Mãe de adolescente queimada em experimento escolar conta última conversa antes da filha ser sedada

O caso aconteceu em Goiânia, onde Annelise Lopes Andrade, de 16 anos, estava realizando um experimento para a aula de Química dentro da escola quando se queimou e foi parar na UTI

Resumo da Notícia

  • Uma adolescente de 16 anos foi parar na UTI após se queimar em acidente com experimento escolar
  • O caso aconteceu em Goiânia, onde Annelise Lope segue internada e sedada
  • A mãe da jovem contou a última conversa que teve com a filha antes da menina ser sedada

Na última terça-feira, 30 de novembro, Annelise Lopes estava na escola realizando um experimento para a aula de Química quando se queimou após uma explosão. A adolescente possui 16 anos de idade, e foi encaminhada para a UTI em estado instável e grave.

-Publicidade-

A mãe de Annelise, Diolange, contou que a filha teve de ser sedada e segue internada se recuperando do acidente. Ao G1, ela ainda contou a última conversa que teve com a menina antes que ela fosse sedada como parte do tratamento.

A mãe de Annelise se pronunciou
A mãe de Annelise se pronunciou (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal/ TV Anhanguera)

“Ela me pediu um abraço, não pude dar esse abraço nela, mas ela entendeu e eu falei para ela ficar calma para ela ser medicada”. Além disso, Diolange relembrou como estava o corpo da filha logo após o acidente: “Quando a vi ela estava com corpo todo queimado. Lá eles me informaram que era 70%, mas chegando aqui [ao hospital] parece que é 60%. Não sei exatamente. As costas bastante quieimadas, rosto, cabelo, parte da barriga. Estava muito queimada”.

Mesmo assim, ela acredita na recuperação da Annalise – e aproveitou o espaço para pedir orações pela recuperação da filha. “Orando, pedi para que todos orem. Logo ela vai estar bem. Eu creio. Ela é uma menina forte, minha parceira, e logo sei que ela vai estar bem”.

Entenda o caso

Annelise teve 60% do corpo queimado enquanto fazia um experimento para aula de Química em um colégio localizado em Annapólis, no interior de Goiânia. Por lá, os alunos da instituição estavam tendo aulas à distância – contudo, a adolescente junto de um grupo de colegas pediu para usar uma sala da escola para a gravação de um vídeo.

Os colegas, junto de Annelise, gravariam um experimento para a disciplina de Química. De acordo com informações de professores e funcionários do local também ao G1, ninguém do grupo avisou qual seria o experimento e que eles usariam fogo e álcool para tal. Por isso, estavam desacompanhados de um adulto na hora do ocorrido.

Annelise possui 16 anos de idade
Annelise possui 16 anos de idade (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal/ TV Anhanguera)

Os outros integrantes do grupo da menina informaram que achavam que não havia álcool o suficiente para acender o fogo de que precisavam e, por causa disso, seguiram colocando mais líquido – o que causo a explosão. Annelise foi gravemente ferida e rapidamente levada para a UTI, onde segue internada.