Mãe de copiloto do avião que caiu faz apelo: “Não desistam de encontrar meu filho”

Ana Regina Agostinho se juntou à equipe de buscar para tentar encontrar José Porfírio de Brito Júnior, copiloto do avião bimotor que caiu entre Ubatuba e Paraty na última quarta-feira

Resumo da Notícia

  • A mãe do copiloto do avião bimotor que caiu fez um apelo à equipe de buscar
  • Ana Regina Agostinho pediu para que não desistam de encontrar o filho dela
  • José Porfírio de Brito Júnior está desaparecido desde a queda do avião em alto-mar

Ana Regina Agostinho está trabalhando junto com a equipe de buscar para tentar localizar seu filho, José Porfírio de Brito Júnior, que está desaparecido desde que o avião bimotor do qual era copiloto caiu em alto mar entre Paraty e Ubatuba. O caso aconteceu na última quarta-feira, 24 de novembro.

-Publicidade-

A mãe do copiloto ficou sabendo do ocorrido cerca de 10 minutos após o acidente, por volta das 21h10. No dia seguinte, ela gravou um vídeo dizendo que as informações que tinha recebido até então estavam “desencontradas” e que houve um atraso no início das buscas pelo avião e por possíveis sobreviventes.

Em entrevista ao G1, Ana Regina fez um apelo. “Estive no mar ontem o dia inteiro. Hoje também estou desde cedo procurando meu filho. Agradeço o apoio que estou recebendo de tanta gente neste momento, nas redes sociais, e peço, por favor, para que os órgãos competentes não desistam de encontrar meu filho”.

Copiloto, José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos, estava no voo que desapareceu próximo à Ubatuba, SP
Copiloto, José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos, estava no voo que desapareceu próximo à Ubatuba, SP (Foto: Reprodução / Instagram / Metrópoles)

Corpo do piloto reconhecido

Dentro do avião que sofreu o acidente estavam três pessoas, entre eles o copiloto, que foi identificado como José Porfírio de Brito Júnior, e o piloto, Gustavo Calçado Carneiro . O acidente aconteceu por volta das 21h.

O corpo do piloto foi encontrado em alto-mar, em Paraty, na Costa Verde fluminense, na tarde de quinta-feira por uma equipe da Força Aérea Brasileira (FAB). A confirmação é do Instituto Médico Legal (IML) de Campo Grande, após os familiares fazerem o reconhecimento do corpo.

Horas após a queda, a FAB encontrou o corpo de Gustavo já em mar aberto em Paraty. O corpo foi levado para a Base Aérea de Santa Cruz (BASC) e, posteriormente, para o IML de Campo Grande, onde passou por exame de necropsia e papiloscopia.