Mãe de dois meninos tenta ter uma menina e dá à luz a quíntuplos: “Fiquei perplexa”

Megan Hulen, de Dakota do Norte, nos Estados Unidos, engravidou de cinco sem recorrer a tratamentos de fertilidade e deu as boas-vindas às quatro filhas e um filho em setembro deste ano

Resumo da Notícia

  • Um casal que era pai de dois meninos engravidou de quíntuplos após tentar ter a primeira menina
  • A ninhada veio para o casal Megan e Joshua Hulen, de Dakota do Norte, nos Estados Unidos
  • A mãe, que sofre de ovário policístico, conseguiu conceber naturalmente os cinco bebês e surpreendeu toda a família
 

Um casal que era pai de dois meninos engravidou de quíntuplos após tentar ter a primeira menina! A ninhada veio para o casal Megan e Joshua Hulen, de Dakota do Norte, nos Estados Unidos. A mãe, que sofre de ovário policístico, conseguiu conceber naturalmente os cinco bebês e surpreendeu toda a família.

-Publicidade-
A familia foi de 4 para 9 membros! (Foto: Reprodução / The Sun)

Depois de dar à luz a Jacob, de 7 anos, e Matthew, de 2, os americanos decidiram que era hora de tentar mais uma vez. Das vezes passadas Joshua e Megan tiveram que recorrer a tratamentos de fertilidade, portanto a notícia da gravidez natural já tinha sido bem animadora. “Mas então descobrimos que teríamos cinco bebês e nada poderia ter nos preparado para isso”, conta a mãe, em entrevista ao The Sun.

Foi durante a consulta de seis semanas de gestação que o médico anunciou para a família que não ouvia um coração batendo, mas cinco. “O técnico de ultrassom ficou preocupado que ele estivesse me machucando porque eu estava tremendo.’Estou tremendo porque você me disse que vou ter cinco bebês’, eu disse”, fala Megan.

-Publicidade-
Meghan engravidou naturalmente (Foto: Reprodução / The Sun)

A gestação de 5 foi diferente, conta a mãe

A gestação de cinco foi bem diferente das outras, confessou a mãe. Ela conta que precisava fazer muito esforço para ficar meia hora em pé. “Havia muitas diferenças nessa gravidez. Eu não podia aspirar o tapete sem precisar fazer uma pausa. Ficando em frente ao espelho para me maquiar, ficava sem fôlego ou cansada demais e precisava me sentar”, explica.

Mas nem tudo foi um obstáculo. Meghan disse que “ficou perplexa” com a facilidade do parto. Com 32 semanas de gestação, a mãe deu à luz aos cinco irmãos por meio de uma cesariana, em 2 de setembro deste ano.

Nasceram 4 meninas (Foto: Reprodução / The Sun)

“Fiquei muito chocado porque os bebês nasceram com quatro minutos de diferença. Foi boom boom boom e todos os bebês estavam fora”, diz. Mesmo prematuros, os bebês nasceram saudáveis e foram para a casa após passarem 3 semanas internados na UTIneonatal. E para a alegria o casal, dos cinco bebês, quatro são meninas. Allison, Adam, Madison, Emma e Chloe são a nova paixão dos irmãos mais velhos, que segundo os pais, estão super animados em ter tantas garotas em casa. Enfim, uma grande família!

Eles não estão sozinhos

Embora rara, a gestação de múltiplos é possível e bastante arriscada. Hannah e Jacob Merton, de apenas 22 anos, por exemplo, se tornaram pais de quíntuplos, após a mulher ser diagnosticada como infértil. Com ajuda de um tratamento, o casal realizou o sonho, mas se surpreendeu ao recer a notícia que seriam pai de cinco. “Me disseram ‘’não sei como isso aconteceu, mas você ovulou dos dois lados e está tendo cinco bebês’”, explicou a jovem ao The Sun na época.

A notícia foi um choque para toda a família. Os bebês nasceram no início de março deste ano e tiveram que ficar internados em observação. Infelizmente, uma das recém-nascidas não resistiu. O casal considera toda a jornada uma “montanha-russa” e explica como faz para dar conta de todos: “Com quatro bebês, é difícil garantir que cada um deles receba a atenção que merecem, então Jacob e eu temos um sistema em que mantemos meninos um dia e meninas no outro”.

O que esperar de uma gestação de múltiplos?

Segundo o ginecologista Edílson Ogea, qualquer mulher está sujeita a ter uma gestação gemelar idêntica, que são os casos mais raros. Já a gravidez de gêmeos fraternos (dois ou mais óvulos fecundados) é diferente, porque costuma existir uma predisposição familiar.

O último censo do IBGE confirma o aumento de gestação múltipla. “Sem dúvida nenhuma, isso se deve às técnicas de reprodução assistida”, aponta Adelino Amaral Silva, pai de Maria Eduarda e Manuella, presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA). De acordo com estimativas do médico, das 12.750 mulheres grávidas por meio de fertilização in vitro e inseminação artificial, cerca de 3.200 estão em gestação de múltiplos, ou seja, entre 25% e 30% delas.

Esse tipo de gestação é considerada de risco, já que a mulher costuma apresentar sintomas como aumento da frequência cardíaca, diminuição da pressão sanguínea. Toda a gravidez é necessária ser acompanhada de um especialista, mas nesses casos essa necessidade é ainda maior.

-Publicidade-