Mãe de gêmeos que fez 32 tentativas para engravidar fala sobre o processo

Fernanda Witwytzky, deu à luz Samuel e Sara depois de anos de tratamento de reprodução assistida. Em entrevista à Pais&Filhos, ela relembra as dores e amores da espera para realizar o desejo da maternidade

Resumo da Notícia

  • Fernanda Witwytzky fez 32 tentativas para engravidar antes de realizar o sonho da maternidade
  • A mãe de Samuel e Sara comentou em detalhes como foi o processo em questão física e psicológica
  • Grávida novamente, ela contou sobre a experiência como mãe de gêmeos

Foram 32 tentativas até Fernanda Witwytzky finalmente receber o tão aguardado resultado positivo. O sonho de ter filhos que veio desde que ela se entende por gente não foi tão fácil de realizar e, para compartilhar esse lado B da maternidade e ajudar outras mulheres nesse período de incertezas, escreveu o livro “Enquanto Isso”. Grávida novamente, ela conversou com a Pais&Filhos. Confira nosso papo completo a seguir.

-Publicidade-
Fernanda WitWytzky engravidou de gêmeos após 32 tentativas e agora está à espera do terceiro filho (Foto: reprodução/Instagram)

Você sempre sonhou em ser mãe?

Sim. Desde pequena eu sempre falei que queria muito ser mãe. Sou de uma família grande, em que somos três irmãos. Além de querer ser mãe, sempre quis ter muitos filhos e continuar essa tradição.

Como foi o momento em que você e seu marido perceberam que não seria tão simples engravidar?

Depois de um ano tentando engravidar, decidimos buscar ajuda médica e ali percebemos que era muito comum casais tentarem engravidar e não conseguir. Por mais que seja um assunto comum, é pouco falado, e muitas pessoas que conhecemos passam por isso em silêncio.

-Publicidade-

Como foi receber a notícia de que seria necessário tratamento para engravidar?

Nada fácil! Por mais que ao mesmo tempo também ficamos aliviados de saber o que tínhamos e que poderíamos dar passos mais “certeiros” em direção a uma gravidez. Mas claro que é frustrante saber que algo que poderia ser natural, e que parece ser tão fácil, para nós teria que ser mais doído.

Como foram os anos de espera em questão física?

A única parte difícil na questão física para mim, foi passar por muitos exames invasivos e alguns procedimentos dolorosos. Também tive que fazer uma cirurgia. Isso de certa forma foi gerando muito desgaste para mim.

Como foram os anos de espera em questão psicológica?

Psicologicamente, sim, eu fiquei muito abalada. Comecei a desenvolver transtornos de ansiedade e estava no início de uma depressão quando eu decidi buscar ajuda psicológica. Foi a melhor coisa que eu fiz. Minha psicóloga me ajudou a lidar melhor com os tratamentos, com as tentativas frustradas, e no final também me ajudou muito na gravidez e em relação ao meu medo de perder os bebês.

Vocês realizaram quantas tentativas?

Eu sei este número preciso porque fiz questão de anotar todos os meus ciclos até conseguir engravidar. Foram 32 tentativas.

Qual foi a parte mais difícil de todo o processo?

Ver o tempo passar. Para quem está tentando engravidar, ver os ciclos passarem, a idade chegar e de certa forma ver que seus planos calculados não estão saindo como esperado, é muito difícil. Mas ao mesmo tempo foi o mais precioso de todo o processo. Aprender a lidar com a espera foi uma das experiências mais ricas que eu passei na vida.

De onde surgiu a ideia de dividir a sua experiência nas redes sociais? Como foi o retorno?

Eu tentei engravidar por um ano em silêncio. Eu e meu marido, Rafa, compartilhamos apenas com poucos amigos e alguns familiares sobre nossas tentativas. Quando tinha um ano, eu percebi que me faria bem colocar isso pra fora, e ter mais pessoas torcendo e orando por nós neste processo. Na época meu Instagram era pequeno, e ainda assim tive um feedback bem grande de pessoas que estavam passando pela mesma situação e também não tinham coragem ou não se sentiam confortáveis de se abrir sobre o tema. Esse retorno me fez ter a certeza de que eu poderia continuar dividindo um pouco dessa jornada e do que Deus vinha me ensinando.

Como foi receber o positivo? O que passou pela sua cabeça?

Foi inexplicável! Receber um “sim” depois de uma maratona cheia de “nãos” é uma sensação mágica, eu nunca vou me esquecer! Passava pela minha cabeça todas as cenas de eu fazendo teste no banheiro e dando negativo. Eu nem acreditava que aquilo estava realmente acontecendo comigo!

E a descoberta de que teria gêmeos?

A descoberta de que eu teria gêmeos foi ainda mais especial do que a descoberta da gravidez. Para mim, foi muito claro que Deus estava nos presenteando em dobro depois de tudo o que havíamos passado.

Como foi a sua gravidez? Quais foram seus principais medos e alegrias?

A minha gravidez foi um pouco turbulenta. Passei por algumas complicações e possibilidades de perdas dos bebês. Não foi nada fácil. Pensei que a gravidez seria um momento tranquilo, e bem mais fácil do que o tempo da espera, mas também foi muito desafiador. Aprendi a confiar em Deus mais ainda.

Por que você decidiu escrever um livro sobre sua experiência materna?

Eu decidi escrever o livro, porque na época que eu estava passando por um tempo de espera, eu senti falta de encontrar conteúdos que falassem sobre isso e pudessem me ajudar. Senti muito claro no meu coração que era pra eu abrir sobre o que aconteceu comigo pra que isso pudesse ajudar outras pessoas.

O que você diria para casais que estão enfrentando os tratamentos de reprodução?

Continuem e encontrem abrigo um no outro. O momento da espera pode ser uma ótima oportunidade para fortalecer o casamento.

Como foi descobrir essa nova gestação?

Foi uma surpresa gigantesca descobrir que eu estava grávida… Jamais imaginei que aconteceria dessa forma tão rápida depois de tudo o que passamos. Por isso o susto! Mas depois passou e ficamos muito felizes e com muita expectativa pelo que virá!

O que passa pela sua cabeça nesse momento em que está grávida novamente?

De primeira me deu muito medo pelo fato de já termos dois bebês pequenos. Quando o baby 3 nascer, os gêmeos ainda vão ser bebês. Fiquei pensando na logística de cuidar deles ao mesmo tempo. Me assustou! Agora consigo ver de forma diferente e enxergar vários lados positivos deles terem pouca diferença de idade.

Com os seus filhos no colo e outro a caminho hoje, qual é o seu maior sonho?

Meu maior sonho é que eles vivam muitos e muitos anos com saúde, e que nunca se esqueçam daquilo que Deus fez na vida deles.

Como a maternidade mudou a sua vida?

Em todos os sentidos possíveis. A nossa vida de hoje não tem absolutamente nada a ver com a vida que tínhamos antes. É maravilhoso e desafiador ao mesmo tempo. Nunca amadurecemos tanto em tão pouco tempo. Filhos nos lembram que a vida não é sobre nós e nem sobre o nosso mundinho. É sair completamente da zona de conforto.

Para você, família é tudo?

Deus é tudo para mim. Família é plano de Deus, e poder participar disso é maravilhoso. Um sentimento de propósito gigantesco.