Mãe de Ludmilla conta que filha sofria ameaças sobre orientação sexual

A cantora assumiu sua orientação sexual ao público em 2019, quando contou sobre namoro com Brunna Gonçalves

Resumo da Notícia

  • Mãe de Ludmilla falou sobre o desafio da filha em assumir a orientação sexual para o mundo
  • Cantora assumiu sua homossexualidade em junho de 2019
  • Durante um período, Brunna e a cantora namoraram sem que o público soubesse

Em entrevista ao Profissão Repórter, a mãe de Ludmilla, Silvana Oliveira, falou sobre o desafio da filha em assumir a orientação sexual para o mundo. A mãe da cantora conta que as pessoas passaram a ameaçar revelar aquilo que Ludmilla mantinha para as pessoas mais próximas.

-Publicidade-

A cantora assumiu sua homossexualidade em junho de 2019, quando contou que estava namorando uma de suas dançarinas, Brunna Gonçalves. Apesar de assumir publicamente, a cantora sofreu diversas chantagens antes de decidir contar. “Ela começou a ficar muito estourada e as coisas foram ficando bem piores, porque as chantagens eram maiores, porque as pessoas ameaçavam contar”, contou Silvana.

Durante um período, Brunna e a cantora namoraram sem que o público soubesse. “No avião, eu sempre sentava atrás das duas. Elas começavam a brincar e eu ficava olhando ao redor, os olhares das pessoas. E quando eu via que a brincadeira delas estava demais, eu cutucava por baixo e falava: para que os outros estão reparando. Ai, gente, que triste! O dia que a Ludmilla chegou para mim e falou: mãe, eu estou preparada. Eu vou me assumir com a Bru. Aquele dia foi como se fosse o dia do nascimento dela para mim”, desabafou a mãe.

A mãe da Brunna, Miriam Gonçalves, explicou que quando a filha começou a trabalhar com a cantora, alguns comentários já eram feitos sobre a orientação sexual dela. “E o pessoal falando: cuidado com a Ludmilla, porque a Ludmilla… Aí eu falei: gente, cada um com seu cada um. Não me interessa a vida de ninguém. O que me interessa é a minha filha. As más línguas comentavam”, relembra ela.

Brunna nunca havia tido qualquer relação homossexual antes, mas sua mãe não encontrou nenhum problema na orientação sexual da filha. “Falei: Tá feliz? Estou junto. E é amor, né cara? Não importa”, diz Miriam.