Mãe de Romana Novais faz desabafo sobre parto de risco da filha: “Medo e alívio”

Hilva Novais usou o Instagram para falar sobre o nascimento prematuro da neta, Raika, que nasceu com 32 semanas

Resumo da Notícia

  • Hilva Novais usou o Instagram para falar sobre o nascimento prematuro da neta
  • Raika nasceu com 32 semanas
  • A mãe de Romana contou o que sentiu sobre o parto de risco

Nesta terça-feira, 08 de novembro, Hilva Novaiusou o Instagram para falar sobre o nascimento prematuro da neta, Raika, que nasceu nesta semana. A mãe de Romana contou o que sentiu sobre o parto de risco, com 32 semanas. Ela também é avó de Ravi, de 11 meses.

-Publicidade-
Mãe de Romana Novais fala sobre nascimento de Raika (Foto: Reprodução / Instagram)

Ao compartilhar uma foto da bebê no hospital, mas sem mostrar o rostinho, Hilva contou que quando soube da notícia sentiu uma mistura de emoções. “Quantas emoções! Por um tempo muito curto, eu desfrutei de infinitos sentimentos: medo, ansiedade, preocupação, alívio, paz, alegria… Foi assim que recebi a notícia que minha netinha Raika tinha nascido. E naquele momento, eu só sabia agradecer… Deus, eu não tenho palavras para descrever o quanto sou grata por tamanha benção”, disse segundo à Quem.

E completou: “O Senhor, com sua bondade e misericórdia, nos abençoou com a vida da Raika e preservou a vida da minha filha, nunca esquecerei. Seja bem-vinda, minha netinha. Estamos alegres com a sua chegada e certos de que tudo foi planejado por Deus. Te amo”. escreveu ela, sobre a neta, que está na UTI, não pode ter contato com os pais, diagnosticados com covid-19.

-Publicidade-

Confira a imagem abaixo:

Mãe de Romana Novais fala sobre nascimento de Raika (Foto: Reprodução / Instagram)

Parto de risco

Romana fez um desabafo sobre o parto de emergência (Foto: Reprodução / Instagram @romananovais)

Mais cedo, Romana fez  um desabafo sobre o medo e os riscos que ela e a filha correram durante o parto. A médica explicou que passou por uma complicação rara chamada Coagulação Intravascular Disseminada (CIDV), muito perigosa. A situação é caracterizada por forte sangramento na placenta.

Na ocasião, ela contou que teve sangramentos e sentiu muitas dores. “A gente correu para o hospital sem pensar muito. Já passaram o acesso em mim na clínica mesmo e foram de carro. Só pensava que tinha que salvar minha filha, queria resolver tudo logo. Cheguei no hospital com muito medo. Ela nasceu muito rápido, eu não estava esperando. Nem esperava que eu fosse conseguir fazer um parto natural, estava com muita dor, mas ela precisava sair”, relatou.

A médica ainda contou que foi para a UTI logo após o parto, mas já está em casa cumprindo isolamento ao lado do marido, já Raika continua internada, apesar de estar bem. “Eu não posso visitá-la, mas vejo ela por Facetime. Isso pra mim é o mais difícil. Não vê-la, não poder tocar, amamentar. Mas diante de tudo que a gente viveu eu só tenho a agradecer a Deus por nunca abandonar minha família”, disse.

-Publicidade-